Você já ouviu falar de Décio Bazin?

O Bazin foi um jornalista econômico e operador que criou uma estratégia de investimento focado em ações pagadoras de dividendos

Estratégia que se provou vencedora no tempo.

A estratégia está documentada no livro Faça Fortuna com Ações", que ficou mais conhecido devido a indicações do megainvestidor Luiz Barsi.

Toda a metodologia de investimentos desenvolvida por Bazin gira em torno de receber dividendos.

É bom ressaltar que Bazin desenvolveu seu método na década dos 80 e 90, período de inflação muito elevada e forte desvalorização da moeda local.

Muito por conta desse cenário adverso da economia brasileira naqueles anos, parte da estratégia levava em consideração a conversão dos dividendos para o dólar.

Foi assim que ele criou o conceito de Cash Yield, que seriam os dividendos distribuídos em cada período convertidos para a moeda norte-americana.

O método que Bazin explica no seu livro tem um viés principalmente quantitativo, e presta menos atenção sobre os aspectos qualitativos.

Melhores Ações de Dividendos? Baixe o Ranking com Maiores Pagadoras de Dividendos.

Os principais critérios a serem considerados para escolher as empresas para investir segundo o método de Décio Bazin são:

  • Liquidez;
  • Cash Yield: ações que paguem no mínimo 6% de dividendos;
  • Notícias negativas: ante a primeira notícia negativa, vender a ação em questão;
  • Endividamento moderado;
  • Rebalanceamento semestral da carteira.

Após um backtest feito pelo Clube do Valor, considerando o período entre 1996 e 2020, podemos perceber como o resultado no longo prazo de investir em empresas boas pagadoras de dividendos se mostrou vencedor frente ao Ibovespa.

Gráfico de comparação de estratégias de investimentos
Gráfico de comparação de estratégias de investimentos.

Tudo isso sem considerar ainda que a volatilidade de uma carteira de ações de dividendos costuma ser menor do que a média do índice, gerando assim um retorno acima do índice consistente.

Mas, será que o método do Bazin pode ser replicado com sucesso na atualidade?

Eu acredito que algumas das métricas utilizadas por Bazin podem sim ser utilizadas ainda hoje, como por exemplo a de exigir um mínimo de Dividend Yield para as empresas da carteira.

Sobre o aspecto qualitativo, o Bazin se refere a notícias “negativas” como critério para excluir empresas da carteira. Mas no final das contas esse critério é muito subjetivo.

Notícias negativas para alguns podem representar notícias positivas para outros.

Na hora de avaliar o endividamento, acredito que é necessário segmentar as empresas pelo ramo de atuação.

Não considero justo comparar a alavancagem de uma empresa com alta previsibilidade de geração de receitas com outra empresa inserida num setor mais cíclico.

Considero que questões de governança corporativa, qualidade e histórico da gestão e rentabilidade também devem fazer parte da análise para escolher as empresas que irão fazer parte da carteira.

Analisar a necessidade de reinvestimento recorrente de capital na operação também é fundamental.

Empresas com menor necessidade de reinvestimento dos seus lucros terão um excedente maior para distribuir dividendos aos seus acionistas no futuro.

O método nada fala sobre diversificação setorial. Fator chave para diluir os riscos específicos de determinados setores da economia.

Outro aspecto que considero fundamental e não abordado no método é sobre o preço de compra.

Comprar com margem de segurança é fundamental para conseguir boas rentabilidades no longo prazo.

→ Você Tem o Mapa dos Dividendos Mensais? Baixe Grátis o Calendário de Dividendos.

Pagar barato, além de aumentar a margem de segurança, aumenta o potencial de valorização da ação no futuro e também aumenta o potencial Dividend Yield on cost, que é o dividendo sobre o preço de compra da ação.

Considero que o método de Bazin é válido até hoje, porém com ressalvas.

Como mensagem final gostaria de falar que, seja com uma ou outra estratégia, o mais importante é que você siga um método claro e objetivo na hora de investir.

A tomada de decisão fica muito menos dependente do aspecto emocional quando os critérios para escolher as ações são claros e específicos

Desse modo, a possibilidade do aspecto psicológico atrapalhar nas decisões diminui consideravelmente.

Na hora de escolher as ações na Seleção de Dividendos, aplicamos alguns dos critérios mencionados pelo Bazin no seu livro, além de outros aspectos quantitativos e qualitativos que considero fundamentais para identificar boas pagadoras de dividendos no longo prazo.

Se quiser conhecer mais sobre nossa carteira de Seleção de Dividendos e os critérios que utilizamos, pode se juntar a nós para construir uma carteira resiliente e geradora de renda passiva.