O que é Tábua Biométrica?

Isso pode parecer estranho, mas a Tábua Biométrica também pode ser chamada de tábua atuarial.

É muito importante entender essa ferramenta na hora de assinar planos de previdência privada, planos de saúde, seguros de vida e até mesmo no cálculo da previdência social.

Afinal, a tábua atuarial afeta diretamente o valor dos benefícios recebidos. Em suma, contém uma tabela que prevê a expectativa de vida de um determinado grupo social.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

As tábuas atuariais são utilizadas para estimar a expectativa de vida de um grupo, a fim de calcular o valor dos benefícios relacionados a serviços como previdência social, previdência privada e seguro de vida.

Essa ferramenta também é chamada de tábua de vida, tábua de mortalidade e tábua biométrica. Normalmente a ferramenta se baseia na análise demográfica de uma série de fatores, como sexo, idade, acesso a saneamento básico e oportunidades de carreira.

O estudo do conceito de vida humana não é novo. Alguns estudos sobre essa evolução vêm sendo realizados há muito tempo, até mesmo como forma de avaliar a melhoria dos indicadores.

A partir do momento em que você inicia um plano de renda vitalícia não é possível atualizar a tábua. Ou seja, o benefício é calculado de acordo com a tábua vigente no momento da contratação do plano.

Na prática, as tábuas atuariais afetam diretamente a taxa de juros dos interesses do segurado e os preços cobrados pelas instituições financeiras pelos serviços.

A tábua atuarial ganhou esse nome por se basear na ciência atuarial, que utiliza tecnologia para analisar riscos e expectativas financeiras e econômicas.

A incerteza sobre o valor das prestações decorre dos riscos financeiros, como a previdência social e das características laborais de cada um dos segurados.

O nome "Biométrico" também representa bem o seu propósito. "Bio" é um radical que significa vida, e "métrica" ​​é usada para medir. Portanto, em termos de etimologia, temos algo próximo a "média de vida", que é o objetivo desta tabela estatística.

Como funciona a Tábua Biométrica?

No Brasil, existem alguns modelos de biometria aceitos. Eles foram criados pela importante fonte de dados nacional IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Mesmo assim, não é assim utilizado em segmentos de mercado que contam com esse tipo de informação, como é o caso do mercado de seguros. Isso ocorre porque não há convergência entre os dados estatísticos (bastante comuns) e o perfil específico do solicitante do serviço.

Portanto, essa diferença pode trazer valor desproporcional às seguradoras, como é o caso dos planos de previdência ou de vida.

Para essas empresas, ter dados precisos é extremamente importante para fornecer serviços com o menor lucro e reduzir os riscos de caixa corporativos. Esse procedimento é monitorado pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados).

O conceito de déficit na tábua biométrica significa carência, escassez ou insuficiência. Sendo assim, em uma explicação sucinta, o déficit na tábua atuarial ocorre quando os recursos para cobrir benefícios devidos são insuficientes.

Qual a tendência para o futuro?

Nos próximos anos, novos ajustes são esperados na tábua biométrica. Isso porque a expectativa de vida deve continuar aumentando, o que precisa ser ajustado nos cálculos da seguradora.

Os recursos utilizados neste sentido são representativos do mundo, que divide a população de acordo com a vida das gerações. Esta é a melhor maneira de pesar diferentes expectativas de vida com base no período de tempo da análise.

Outro ponto importante é que o desenvolvimento do país também afetará a qualidade dos dados. Por exemplo, os países europeus têm informações mais específicas sobre mortalidade do que os países emergentes, como o Brasil.