A MRV (MRVE3) informou nesta quinta-feira (30), através de fato relevante, que seu Conselho de Administração aprovou, o novo programa de recompra de ações de sua própria emissão.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O novo programa de recompra de ações de emissão da própria Companhia tem limite de 6.082.426 de ações ordinárias, que representam, na presente data, aproximadamente, 2% do total de ações da Companhia em circulação no mercado, para efeito de cancelamento, permanência em tesouraria ou para posterior alienação.

No âmbito do novo programa está autorizada, ainda, a celebração de operações de derivativos referenciados em ações de emissão da própria Companhia, com vigência até 31 de dezembro de 2023.

A Companhia tem em circulação, conforme o conceito da Instrução CVM nº 567/15, conforme alterada, 304.188.688 ações ordinárias.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

A aquisição será feita a débito da conta de reserva de lucros registrada no balanço patrimonial levantado em 31 de março de 2022.

A operação será realizada através de uma ou mais dentre as seguintes instituições financeiras: Banco Santander (Brasil) S.A., Banco Bradesco SA e BTG Pactual.

Melhores Oportunidades do Mercado Financeiro? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização Hoje.

Resultado da MRV no Primeiro Trimestre de 2022

O resultado da MRV (MRVE3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 12 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 78,2 milhões no 1t22, uma baixa de -46,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da MRV atingiu R$ 199,0 milhões no 1T22, apresentando retração de -5,8% na comparação com o 1T21. 

A margem Ebitda da MRV totalizou 11,9% no 1T22, apresentando retração de -1,3 ponto percentual na comparação com o 1T21.  

A margem líquida da MRV atingiu 4,7% no 1T22, apresentando retração de -4,5 pontos percentuais na comparação com o 1T21. 

As ações da MRV (MRVE3) acumulam queda de 5,40% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 52,12% nos últimos 12 meses.