O que é Bolha Imobiliária

Bolha Imobiliária é como se denomina um estado do mercado imobiliário no qual o preço dos imóveis está supervalorizado, porém sem qualquer justificativa plausível.

O termo “bolha” é utilizado para ilustrar uma situação de fragilidade, indicando que a qualquer momento as coisas podem mudar de forma abrupta. Ou seja, a bolha pode estourar.

O estouro dessa Bolha Imobiliária, por sua vez, pode ser o estopim para diversas consequências ruins para o mercado financeiro e a economia de um país.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Causas de uma Bolha Imobiliária

Antes de qualquer coisa é importante deixar claro que nem todo o aumento no preço dos imóveis é uma consequência direta ou indício de uma Bolha Imobiliária.

Afinal de contas, assim como qualquer outro bem de consumo, os imóveis estão sujeitos a inflação, a lei da oferta e demanda e a fatores subjetivos de valorização.

Agora, tendo isso bem estabelecido, quando não existe uma justificativa plausível para o aumento no preço dos imóveis, nesse momento podemos conjecturar uma bolha imobiliária.

As duas principais razões que levam a criação de uma bolha imobiliária, são:

  • Especulação imobiliária de preços causada por um desbalanceamento na oferta e na demanda; 
  • Expansão desenfreada de crédito em detrimento de uma política irresponsável governamental que vise facilitar financiamentos imobiliários ou empréstimos bancários.

Vale destacar que muitas vezes essas duas motivações acabam se interligando, e geralmente podem ser identificadas em um momento pré estouro da bolha.

Consequências de uma Bolha Imobiliária

Enquanto a Bolha Imobiliária ainda está se formando, é possível observar que as pessoas estão com muita dificuldade de adquirirem imóveis ou manterem aluguéis em dia.

Então os bancos começam a facilitar a concessão de crédito sem antes se certificar de que o requisitante do crédito de fato consegue arcar com o financiamento.

Logo, no entanto, os bancos começam a sentir as consequências da inadimplência de seus clientes e os prejuízos então amargam as instituições.

Uma vez que a situação se torne insustentável, a Bolha então estoura trazendo consequências ruins e adversas a economia de um país.

O estouro da Bolha Imobiliária acontece quando o preço dos imóveis subitamente despenca, causando enormes prejuízos para a economia como um todo.

Porque uma vez que um setor da economia entre em crise, isso geralmente leva a uma reação em cadeia, puxando outros setores junto.

A Bolha Imobiliária dos EUA

A crise econômica dos EUA, também conhecida como crise dos subprimes, que se iniciou em 2007 e gerou consequências no mundo, viu sua origem em uma bolha imobiliária.

O que aconteceu foi que os bancos começaram a tornar o crédito imobiliário muito mais acessível do que o recomendável, com percentuais de segurança na média de 1%.

Ou seja, os bancos emprestavam dinheiro ou financiavam imóveis para pessoas que, de maneira geral, não apresentavam garantias de que conseguiriam arcar com as parcelas.

Enquanto isso, na bolsa de valores eram negociados os chamados “títulos podres”, derivativos e CDOs baseados nas hipotecas subprime dos empréstimos imobiliários.

Para piorar tudo, as Agências de Risco e Rating classificavam esses ativos com o grau máximo de segurança, encobrindo toda a ingerência financeira e econômica que se sucedia.

Então, quando a Bolha Imobiliária estourou, os EUA passaram a viver uma crise imobiliária, com inúmeras pessoas perdendo suas propriedades, o que desencadeou uma crise econômica.

Bolha Imobiliária e crises econômicas 

Bolhas Imobiliárias podem ser o sintoma ou a causa de uma crise econômica. Em todo o caso, esta situação não existe dentro de uma economia saudável e calcada na realidade.

Na pior das condições, o estouro de uma Bolha Imobiliária pode levar ao início de uma recessão econômica, ou até mesmo uma depressão econômica, caso a economia já esteja fragilizada.