A Taesa (TAEE11) iniciou nesta quarta-feira a operação comercial na linha de transmissão de 500 kV que interliga Minas Gerais à Bahia, passando pelas cidades de Pirapora, Janaúba e Bom Jesus da Lapa.

Houve antecipação de seis meses na entrega do empreendimento em relação ao previsto e redução de 18% no Capex estimado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no leilão de transmissão 13/2015.

A construção da linha de transmissão teve custo de R$ 1 bilhão e adicionará uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 213,6 milhões por ano à empresa. Por mês, ela significará uma receita de R$ 18 milhões à Taesa.

Segundo o diretor de Implantação da Taesa, Luis Alessandro Alves, o empreendimento ajudará a escoar a carga de energia do Nordeste para trazê-la ao submercado Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do País.

"Passa a ser um corredor importante entre as renováveis do Nordeste e o centro de carga do Sudeste", comentou. O empreendimento tem capacidade para transportar 1.600 megawatts (MW) de potência, energia suficiente para atender ao consumo de cinco milhões de pessoas.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Resultado da Taesa no Segundo Trimestre de 2021

O resultado da Taesa (TAEE11) no segundo trimestre de 2021 (2t21), divulgado no dia 11 de agosto, apresentou lucro líquido de R$ 697,9 milhões no 2T21, uma alta de 50,3% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Taesa atingiu R$ 740,7 milhões no 2T21, apresentando crescimento de 66,7% na comparação com o 2T20. 

A margem Ebitda da Taesa totalizou 81,9% no 2T21, apresentando crescimento de 23,4 pontos percentuais na comparação com o 2T20.   

A margem líquida da Taesa atingiu 77,2% no 2T21, apresentando crescimento de 16,2 pontos percentuais na comparação com o 2T20. 

As ações da Taesa (TAEE11) acumulam queda de 4,58% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 52,33% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.