Vladimir Potanin é o homem mais rico da Rússia documentado, com patrimônio líquido estimado em US$ 24,4 bilhões, segundo o Bloomberg Billionaires Index. Isso o coloca como a 58ª pessoa mais rica do mundo. 

Podem até existir oligarcas russos com fortuna superior, mas como esses dados não são acessíveis, o título fica com Potanin.

Durante a transição da Rússia para uma economia de mercado, ele adquiriu o controle de mais de 20 empresas anteriormente estatais. 

Mesmo com toda essa riqueza, seu patrimônio sofreu um enorme golpe desde que a Rússia iniciou sua invasão na Ucrânia. Estima-se que ele tenha perdido quase um quarto de sua riqueza inicial.

Vladimir Potanin já apareceu na "Lista Putin" de 2018 do Tesouro dos EUA dos 210 indivíduos intimamente associados ao presidente russo Vladimir Putin.

O bilionário também é conhecido por passar férias em iates e jogar hóquei no gelo com o presidente russo.

Apesar desses laços estreitos, Potanin não está na lista de oligarcas russos que foram sancionados pelo Ocidente.

Saiba mais quem é Vladimir Potanin, como ele ganha e gasta sua fortuna.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Quem é Vladimir Potanin

Vladimir Potanin é um oligarca empresarial russo, acionista majoritário e CEO da Norilsk Nickel, a maior produtora mundial de níquel refinado.

Ele adquiriu uma participação na Norilsk Nickel durante a privatização da Rússia em 1995 e hoje possui cerca de um terço da empresa com sede em Dudinka, na Rússia.

A Norilsk Nickel é responsável por quase 22% da produção mundial de níquel de alta qualidade e cerca de 40% de seu paládio.  

A empresa obteve US$ 17,9 bilhões em receita em 2021, segundo a Bloomberg.

Outros investimentos de Potanin incluem uma participação majoritária na Petrovax Pharm, uma empresa farmacêutica russa.

Vida e carreira

Vladimir Olegovich Potanin nasceu em 3 de janeiro de 1961, na cidade de Moscou, na antiga União Soviética (URSS), filho de um diplomata e de uma médica.  

Ele frequentou a faculdade de Relações Econômicas Internacionais do Instituto Estatal de Relações Internacionais de Moscou (MGIMO), uma escola de elite que preparava alunos para o Ministério das Relações Exteriores.

Ao se formar no MGIMO, em 1983, Potanin seguiu os passos de seu pai e foi trabalhar para o Departamento de Comércio soviético.

Em 1991, ele criou a Interros, uma associação de comércio exterior que comercializava metais não ferrosos, incluindo alumínio, cobre e chumbo. 

Aos 30 anos, conheceu Mikhail Prokhorov, que se tornaria seu futuro sócio.  A dupla fundou a International Company for Finance & Investments e depois o Onexim Bank, que se tornou o maior banco privado da Rússia na época.

Ainda na década de 90, enquanto trabalhava no Ministério do Comércio Exterior, Potanin 

idealizou o programa de "empréstimos por ações" que se tornaria a fonte da riqueza de muitos oligarcas, inclusive dele mesmo.

Sob este programa, empresários e bancos ricos emprestaram dinheiro ao governo russo em troca de participação nas empresas de recursos naturais do país. 

Como o governo muitas vezes não conseguia pagar esses empréstimos, acabava deixando muitas das empresas de recursos naturais nas mãos de indivíduos ricos.

Foi por meio desse programa que Potanin adquiriu Nornickel e se tornaria o homem mais rico da Rússia na época.

Potanin foi um dos Sete Grandes oligarcas que ajudaram a reeleger Boris Yeltsin como presidente em 1996. Yeltsin nomeou Potanin como seu primeiro vice-primeiro-ministro encarregado da energia e economia.

Ele também foi um dos vários bilionários russos que ajudaram a financiar as Olimpíadas de 2014 em Sochi. Potanin investiu US$ 2,5 bilhões em um resort de esqui e outras instalações, segundo a Forbes.

Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022, muitos oligarcas russos foram sancionados pelos Estados Unidos e Reino Unido. 

Embora Potanin não tenha sido sancionado pelo Ocidente pela invasão da Ucrânia pela Rússia, seu relacionamento com Putin remonta a pelo menos duas décadas.

Potanin foi casado com Natalia Potanina por 30 anos. Eles se divorciaram em 2014 em meio a uma disputa pública sobre a distribuição da riqueza do bilionário.

Potanina disse ao Business Insider em uma entrevista na época que ela estava buscando metade da fortuna de US$ 15 bilhões de Potanin no momento do divórcio.

A Agência Russa de Informações Jurídicas informou mais tarde que Potanina recebeu US$ 6,8 milhões por sua parte do apartamento de luxo que o casal dividia em Moscou e três terrenos na região de Moscou.

Ele se casou com sua segunda esposa, Ekaterina, em 2014 e tem um filho juntos.

Potanin tem três filhos de seu primeiro casamento: Anastasia, Ivan e Vasily.

O bilionário também é um grande filantropo. Em 1999, criou a Fundação Vladimir Potanin, uma organização sem fins lucrativos que busca implementar “projetos educacionais e culturais de longo prazo na Rússia”, de acordo com a biografia do bilionário no site de Nornickel.

Em 2016, ele doou 250 obras de arte russa e soviética ao Centro Pompidou em Paris.  Ele foi premiado com a Legião de Honra Francesa no ano seguinte.

Potanin foi, até recentemente, administrador da Fundação Solomon R. Guggenheim em Nova York.  Ele renunciou ao conselho em 2 de março.

 "O Guggenheim condena veementemente a invasão russa e a guerra não provocada contra o governo e o povo da Ucrânia", disse o museu, segundo o The Times.

Em 2013, Potanin assinou o The Giving Pledge, uma organização global de caridade iniciada em 2010 por Bill e Melinda Gates e Warren Buffett, na qual os  signatários do compromisso prometem doar a maior parte de sua riqueza para caridade.

Potanin foi o primeiro bilionário russo que assinou o Giving Pledge.

“Acredito genuinamente que a riqueza deve funcionar para o bem público e, portanto, estou tentando dar minha própria contribuição para um mundo melhor, especialmente para um futuro melhor para meu próprio país, a Rússia”, escreveu Potanin no site do The Giving Pledge.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Como Vladimir Potanin ficou rico

Vladimir Potanin ficou rico empreendendo e investindo.

Uma de suas primeiras fontes de riqueza foi a Interros, um conglomerado com participações em setores como mineração, energia e imobiliário que fundou em 1990.

Sob a Interros, Potanin fundou a Open Investments, uma empresa imobiliária.

Pouco depois, em 1993, fundou o Onexim Bank, que controlava gigantes industriais.

Potanin também foi fundamental na criação dos leilões de "empréstimos por ações" que se tornaram um pilar fundamental da reforma econômica pós-soviética da Rússia. 

Os leilões permitiram a venda de ativos de empresas russas a preços abaixo do mercado.

Assim, adquiriu parte da Norilsk Nickel, grande produtora de níquel mundial.

Onde Vladimir Potanin investe

Potanin possui investimentos em seguros, mídia, agricultura, engenharia, mineração e petróleo, além de participações na empresa farmacêutica Petrovax Pharm e na estação de esqui Rosa Khutor, perto de Sochi.

O bilionário também tem um portfólio imobiliário considerável.  Ele supostamente possui escritórios, propriedades hoteleiras em Moscou, terrenos na região central da Rússia e um clube de campo na região de Moscou.

Como vários oligarcas russos, Potanin é um colecionador de iates de luxo.