A Pesquisa do Ipespe divulgada nesta sexta-feira, 20, mostra que 67% dos entrevistados seriam favoráveis à privatização da Petrobras (PETR4) caso haja segurança de que a venda da estatal leve à queda do preço dos combustíveis.

De acordo com o levantamento, sem expectativa de alteração nos preços em caso de privatização, 49% da população diz não concordar com a venda da companhia, contra 38% favoráveis.

Para 44%, os preços dos combustíveis aumentariam ainda mais no caso da privatização da estatal.

A pesquisa foi realizada na semana seguinte ao pedido estudos feitos pelo novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, para a inclusão da Petrobras no programa de desestatização do governo.

Responsabilidade Em relação à responsabilidade pelo aumento no valor do combustível, 64% dos entrevistados consideram que a estatal tem "muita responsabilidade" sobre as sucessivas elevações nos preços.

Para 45%, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), teve muita responsabilidade.

Onde Investir no Cenário Político Atual? Baixe Grátis o Relatório “Os Melhores Investimentos com a Política Atual".

A guerra na Ucrânia foi apontada por 40% dos entrevistados como muito responsável pela alta nos preços, mesmo porcentual que considera os governadores como principais responsáveis.

Do total de entrevistados, 37% deles classificaram como muito responsáveis os governos anteriores, como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, nos dias 16, 17 e 18 de maio. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-08011/2022. A margem de erro máxima é de 3,2 pontos porcentuais.

Onde Investir no Cenário Político Atual? Baixe Grátis o Relatório “Os Melhores Investimentos com a Política Atual".

Resultado da Petrobras no Primeiro Trimestre de 2022  

Os resultados da Petrobras (PETR4) referente a suas operações do 1T22, foram divulgados no dia 8 de Maio, apresentou um lucro líquido de R$ 44,8 bilhões no 1T22, alta de 3.409,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda ajustado da Petrobras atingiu R$ 77,7 bilhões no 1T22, apresentando crescimento de 58,8% na comparação com o 1T21.

margem Ebitda ajustada da Petrobras totalizou % no 1T22, apresentando retração de pontos percentuais na comparação com o 1T21.

margem líquida da Petrobras atingiu 31,6% no 1T22, apresentando crescimento de 30,1 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

A ações da Petrobras (PETR4) acumulam alta de 1,89% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 70,21% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Contéudo.