Resumo

  • A assessoria de investimentos é responsável por intermediar a relação entre investidores e corretoras;
  • Os profissionais podem auxiliar oferecendo novos produtos compatíveis com o perfil do cliente;
  • O problema é que o assessor é integrado a uma corretora e só pode oferecer produtos desta instituição;
  • Por conta desse vínculo e sua forma de remuneração, pode ocorrer o conflito de interesses.

Com a entrada recorde de pessoas físicas na Bolsa de Valores brasileira, aumentou também o número de profissionais que auxiliam esses novos investidores. 

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

É o caso do assessor de investimentos, conhecido também como agentes autônomos de investimentos (AAI).

Se durante muito tempo, os investidores brasileiros estiveram concentrados nos grandes bancos, com a popularização dos investimentos e o surgimento das corretoras de valores, as possibilidades aumentaram.

Com a migração para as corretoras, a profissão de assessor de investimentos ganhou espaço.

Esse profissional faz a intermediação comercial entre o cliente e os produtos da corretora ou instituição financeira e pode auxiliar o investidor no momento de escolher os ativos. 

Para esclarecer o que faz uma assessoria de investimentos, o papel do AAI e como ele atua no mercado financeiro, continue a leitura.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O que é Assessoria de Investimentos?

A Assessoria de Investimentos é uma empresa que possui vínculo exclusivo com uma corretora de valores.

Formada por uma equipe de especialistas, é responsável por intermediar a relação entre os investidores com a distribuidora de investimentos

Seus profissionais são conhecidos como assessores de investimentos ou agentes autônomos de investimentos (AAI) e podem auxiliar os investidores na elaboração de uma carteira.

Eles oferecem produtos adequados ao perfil de investidor, através de uma plataforma de distribuição de uma instituição financeira.

O que faz um assessor de investimentos?

O assessor de investimentos é um profissional que atua ligado a uma instituição financeira revendendo apenas os produtos, serviços e soluções disponíveis na plataforma para sua base de clientes.

Sua atuação acontece, sobretudo, no atendimento, suporte, prospecção e captação de clientes, mas não se limita a isso.

O assessor de investimentos também exerce um papel estratégico ao auxiliar o cliente a alcançar seus objetivos financeiros por meio dos investimentos disponíveis.

As funções e atribuições desse profissional estão listadas na Instrução CVM 497, são elas:

  • Prospecção e captação de clientes;
  • Prestação de informações sobre produtos e serviços oferecidos pela corretora;
  • Recepção, registro e transmissão de ordens e operações no mercado;
  • Suporte educacional e operacional.

Vale ressaltar que o assessor de investimentos não pode:

  • Realizar recomendação de investimentos; e
  • A decisão final (de compra ou venda de algum ativo) fica restrita ao investidor e não ao agente.

Portanto, a assessoria de investimentos está mais relacionada às atividades comerciais e não de orientação e recomendação como a consultoria de investimentos

Quanto ao custo de contar com um assessor de investimentos, esse serviço é "gratuito" para o investidor, mas lembre-se que a remuneração do profissional vem com base na taxa de corretagem dos produtos de seus clientes.

Neste momento é que alguns profissionais acabam oferecendo produtos financeiros que pagam maiores comissões, por isso fique atento.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Qual a Qualificação de um Assessor de Investimentos?

Para garantir a segurança dos investidores e as regras do mercado, o assessor de investimentos deve ter a certificação de agente autônomo de investimentos.

Para isso, precisa ser aprovado no Exame de Certificação para Agentes Autônomos de Investimento e Empregados de Instituições Financeiras, prova aplicada pela ANCORD (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias).

Além disso, deve ser devidamente registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Você pode consultar e verificar o registro na CVM no site da autarquia. 

Diferença entre Assessor e Consultor de Investimentos

Embora o assessor de investimentos seja comumente confundido com o consultor de investimentos, esses dois profissionais possuem funções e objetivos bem diferentes.

O consultor é o profissional que pode recomendar investimentos para o cliente, com base em seu perfil.

Já o assessor apenas apresenta produtos disponíveis na corretora, sem fazer recomendações, o motivo é simples: evitar o conflito de interesses.

O assessor é um intermediário de uma corretora ou instituição financeira, que faz a intermediação comercial entre o cliente e os produtos da corretora.

Seu foco está na prospecção de clientes oferecendo os serviços e produtos aos clientes.

A remuneração dos assessores é baseada em metas e comissões em um modelo chamado de commission based ou “baseado em comissão”.

Assim, para cada produto indicado, ele recebe uma comissão embutida nos produtos de investimentos, conhecidas como taxa de rebate.

Por conta desse conflito de interesses, não tem como o cliente saber se os produtos ofertados estão realmente alinhados com os seus objetivos. 

Já o consultor de investimentos não está associado a metas comerciais e não recebe comissões para a venda de produtos. 

Este profissional presta um serviço personalizado e individualizado aos seus clientes sem qualquer vínculo com instituições financeiras.

Dessa forma, o consultor está mais alinhado aos interesses do cliente.

Seu trabalho consiste em identificar o perfil e objetivos do cliente, os valores disponíveis para investimento e o nível de experiência no mercado financeiro a fim de indicar e aconselhar sobre os melhores ativos e carteira.

Informe o DDD + 9 dígitos