A Fitch reiterou o rating nacional de longo prazo 'AA-(bra)' para a C&A (CEAB3). Por outro lado, rebaixou a perspectiva para a classificação de estável para negativa.

A agência atribuiu ainda o rating 'AA-(bra)' à proposta de segunda emissão de debêntures quirografárias da empresa, no montante de R$ 600 milhões, com vencimento em 2028.

"A revisão da perspectiva reflete os desafios da C&A para fortalecer sua geração de caixa e suas margens operacionais, de forma a reduzir sua alavancagem financeira para níveis adequados à atual classificação, em meio à fraca conjuntura macroeconômica brasileira e ao elevado plano de investimentos", justifica a agência de risco.

A Fitch complementa que a companhia tem o desafio de gerenciar as pressões inflacionárias sobre sua base de custos e despesas em um cenário desfavorável de preços, devido à acirrada competição e demanda pressionada.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Já os ratings da C&A apontam o destacado posicionamento na competitiva indústria de moda no Brasil, sua razoável escala, atuação nacional e a marca consolidada, ainda de acordo com a agência.

Além disso, incorporam a manutenção de uma saudável posição de liquidez e robusta flexibilidade financeira.

"A aquisição da operação financeira não deve ter impacto significativo no perfil de crédito da emissora a médio prazo", conclui a Fitch.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da C&A no Quarto Trimestre de 2021

O resultado do C&A (CEAB3) no quarto trimestre de 2021 (4t21), divulgado no dia 10 de março, apresentou um lucro líquido de R$ 154,4 milhões no 4t21, uma alta de 41,2% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda ajustado da C&A atingiu prejuízo de R$ 201,4 milhões no 4T21, apresentando um crescimento de 22,6% na comparação com o 4T20.

A margem Ebitda ajustada da C&A totalizou 10,8% no 4T21, apresentando crescimento de 1,4 ponto percentual na comparação com o 4T20.

A margem líquida da C&A atingiu 8,3% no 4T21, apresentando crescimento de 2,0 pontos percentuais na comparação com o 4T20.

As ações da C&A (CEAB3) acumulam queda de 13,08% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 58,92% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.