Você sabe qual é o maior desafio dos investidores?

É entender que a realidade é profundamente complexa e que bons investimentos não são frutos do resultado de um cálculo de matemática exata.

As planilhas aceitam tudo, mas a realidade é apenas uma. 

Uma empresa que gera historicamente bons resultados e possui, consequentemente, excelentes indicadores, pode se tornar um péssimo negócio se não acompanhar a evolução do seu setor

O contrário também é verdadeiro. 

Uma empresa julgada ruim agora, pode se tornar a maior empresa do mundo amanhã.

Não existem regras para determinar o que acontecerá. Nem certezas.

Tudo é sempre uma questão probabilística e, por isso, trata-se sempre de um jogo de colocar as probabilidades ao nosso favor.

Essa compreensão nos leva a uma simples conclusão: você e eu iremos cometer erros no percurso. 

Ninguém gosta de errar, mas lidar corretamente com eles é fundamental para melhorarmos. 

O velho ditado já dizia "errando é que se aprende".

Cientes desse fato, o melhor caminho é a diversificação

Quando digo diversificação, não me refiro a sair comprando um monte de ações e ativos sem qualquer lógica. 

Uma carteira de 20 ações, sendo 10 bancos e 10 elétricas está absurdamente concentrada.  Isso não resolveria absolutamente nada.

A diversificação se torna funcional quando cada ativo responde de maneira diferente a mesma variável.

Explico…

Imagine duas empresas, uma é exportadora e a outra é importadora

Se o dólar subir, a empresa exportadora irá se beneficiar, pois suas receitas irão aumentar proporcionalmente à variação cambial

Por outro lado, a empresa importadora terá um aumento de custo, já que suas compras são feitas no exterior e pagas em dólar. 

Obviamente fiz uma simplificação bem reducionista nesse exemplo, mas ficou claro como uma variável poderá afetar de forma diferente duas empresas.

Mas é a síntese da diversificação inteligente.

Veja como é a diversificação da carteira do Joias da Bolsa em relação aos subsetores das empresas:

Diversificação de subsetores de ações do Joias da Bolsa
Diversificação de subsetores das ações do Joias da Bolsa.

Essa diversificação, somada ao preço baixo que pagamos pelas ações, está nos permitindo conduzir a carteira há 2 anos com eficiência e elevado grau de gerenciamento de risco.

Os assinantes do Joias da Bolsa estão contentes e o meu dever é manter ou até elevar a qualidade do trabalho.

Onde Investir na Queda da Bolsa? Baixe a Lista de 3 Ações para Investir Agora.

Agora você pode estar se perguntando sobre a área azul do gráfico de “pizza"...

Bom, basicamente as ações da carteira do Joias equivalem a 30% de uma carteira de investimentos, incrementando uma diversificação interna da carteira de ações, ou como eu costumo chamar: micro diversificação

A área azul é relativa à macro diversificação na alocação de ativos

A maioria dos investidores não concede o nível de atenção necessário para essa parte da carteira. 

Nas lives direcionadas aos assinantes do canal, eu costumo bater muito nessa tecla.

Saiba que essa diversificação é tão fundamental quanto as ações escolhidas para construção do seu patrimônio

Veja a alocação de ativos completa:

Alocação de ativos completa
Alocação de ativos completa e diversificada.

Perceba que cada fatia tem um objetivo muito importante na carteira, basicamente na direção de diferentes proteções de patrimônio.

Imagine que a sua fatia de ações seja um motor turbinado de um carro e as demais fatias sejam os equipamentos de segurança

Investir é uma longa jornada e é racional que ela seja segura, mas não privada de se aumentar a velocidade em alguns momentos. 

A partir desse racional, consigo me aprofundar em teses de investimento como de “patinhos feios” como a COGN3 ou de “lindos cisnes” como a GOGL34.

Eu e os assinantes do Joias dormimos tranquilos sabendo que a carteira está trabalhando de forma equilibrada e estratégica.