A Dexco (DTEX3), antiga Duratex, informou nesta segunda-feira, 26, que, em decorrência das decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e da Cofins, está trabalhando na apuração dos valores envolvidos em seus processos.

Segundo levantamentos preliminares, a empresa calcula que haverá um impacto positivo em seu resultado consolidado de R$ 659,3 milhões, antes dos efeitos fiscais, e que serão reconhecidos nas demonstrações financeiras do 2º trimestre de 2021.

A empresa ressalta que ainda não houve trânsito em julgado das medidas judiciais da Duratex S.A. (maior parte do crédito) que abrangem o período de 2001 a 2018, tendo sido reconhecido contabilmente o período da documentação eletrônica (2010 a 2018).

A Dexco acrescenta que está trabalhando no levantamento e na análise da documentação para apuração dos valores adicionais, localizada em diversos estabelecimentos operacionais geograficamente dispersos, e incluem documentos originalmente sob guarda das empresas que a companhia adquiriu ao longo dos últimos 20 anos.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Duratex no Primeiro Trimestre de 2021

O resultado da Duratex (DTEX3) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 24 de abril, apresentou um lucro líquido de R$ 172,7 milhões, alta de 232,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda da Duratex atingiu R$ 464,6 milhões no 1T21, apresentando crescimento de 74,4% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda da Duratex totalizou 26,3% no 1T21, apresentando crescimento de 3,4 pontos percentuais na comparação com o 1T20. 

A Margem Líquida da Duratex atingiu 9,8% no 1T21, apresentando crescimento de 5,3 pontos percentuais na comparação com o 1T20.

As ações da Duratex (DTEX3) acumulam queda de 2,27% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 45,19% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.