A AES Brasil (AESB3) fechou um acordo com a Unipar (UNIP6) para autoprodução de energia de 91 megawatts (MW) no Complexo Eólico Cajuína.

O empreendimento, que será implantado no Rio Grande do Norte, terá investimento de aproximadamente R$ 510 milhões.

Da energia produzida, 40 MW médios serão comercializados por meio de um contrato com prazo de 20 anos a ser firmado com a Unipar, com início de vigência em 2024.

Esse é o segundo contrato firmado entre as duas empresas, que já possuem uma joint venture com capacidade de 155 MW em geração de energia no Complexo Eólico Tucano, que está sendo construído na Bahia. 

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Ativo 

O Complexo Eólico Cajuína soma, ao todo, 473 MW de capacidade em suprimento de energia, totalmente contratado ao longo de 2021.

O local possui capacidade instalada total de 1.248 MW, sendo 775 MW em desenvolvimento.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da AES Brasil no Terceiro Trimestre de 2021

O resultado da AES Brasil (AESB3) no terceiro trimestre de 2021 (3t21), divulgado no dia 03 de novembro, apresentou lucro líquido de R$ 430,8 milhões no 3T21, uma alta de 742,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da AES Brasil atingiu R$ 92,1 milhões no 3t21, apresentando retração de -70,5% na comparação com o 3t20.

A margem Ebitda da AES Brasil totalizou 13,9% no 3t21, apresentando retração de -47,4 ponto percentual na comparação com o 3t20. 

A Margem líquida da AES Brasil atingiu 65,1% no 3t21, apresentando crescimento de 55,1 ponto percentual na comparação com o 3t20.

As ações da AES Brasil (AESB3) acumulam queda de 2,90% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 30,19% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.