O que é Too Big to Fail?

O termo Too Big to Fail pode ser traduzido para o português como “grande demais para quebrar" ou "grande demais para fracassar".

O termo significa que algumas organizações, especificamente algumas instituições financeiras, têm seu porte tão grande e são tão interligadas que em caso de falência seria impacto crítico para a economia e que, por isso, algumas dessas instituições são apoiadas pelo governo quando passam por uma crise.

Em outras palavras, o Too Big to Fail é um pensamento normal na economia política dos EUA, usado como exemplo para corporações que são necessárias para dar estabilidade na economia dos Estados Unidos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Com essa metodologia, crê-se que caso a companhia venha a falir, as consequências seriam críticas.

Sendo assim, se for necessário, o estado pode ajudar a garantir que as crises das empresas não sejam sentidas de perto pela sua sociedade.

História do Too Big to Fail

A metodologia de Too Big to Fail surgiu através dos americanos, mesmo tendo sido mais reconhecida nos tempos atuais, a metodologia já persiste na sociedade há algum tempo.

O governo dos Estados Unidos utiliza regras de blindagem aos seus bancos desde os anos 30, após sobreviver à Grande Depressão que afetou o mundo, ou em outras palavras, denominada como a primeira crise financeira mundial.

Entretanto, quando ocorreu outra grande crise financeira que colidiu com a economia mundial, entre 2007 e 2008, a quebra do Banco Lehman Brothers revelou novamente que a proteção às instituições ainda demonstravam brechas de falha no sistema.

Evidenciando então, que ainda não o sistema não estava pronto para manter a estabilidade de instituições financeiras presentes na nação.

Através disso, os EUA tomaram conhecimento e melhorou as leis, assinando no mesmo ano de 2008 o Emergency Economic Stabilization Act (EESA). A nova lei na tradução em português é entendida como Ato de Estabilização Econômica de Emergência.

Com isso, a finalidade principal era guardar parte das reservas para colaborar com instituições financeiras essenciais que houvessem crises financeiras ou administrativas internas ou externas ou evitar um processo de falência.

Quais companhias pertencem ao grupo Too Big to Fail?

Geralmente, as companhias incluídas nesse grupo estão sob a blindagem do governo, além de estarem relacionadas ao mercado financeiro. Podemos utilizar como exemplo as instituições financeiras, entre bancos, corretoras, entre outros.

É necessário saber que nem toda instituição financeira é considerada um Too Big to Fail, geralmente são os maiores, aqueles que podem gerar grande desestabilidade em caso de falência à economia do país e, dependendo, no mundo.

Sendo assim, para prevenir outra crise econômica, o estado interfere diretamente sobre essa instituição, gerando fundos de resgate emergenciais.

Normalmente o método prevê ajudar a estabilidade do mercado financeiro, a fim de manter a sociedade com normalidade, protegendo o capital destinado às grandes instituições.

O filme Too Big to Fail

Baseado na própria história dos Estados Unidos, a HBO produziu o filme Too Big to Fail. O título foi traduzido para Grande Demais Para Quebrar, em português.

A história desenvolvida trata do banqueiro Richard Fuld, interpretado por James Woods, e da tentativa de salvar o Banco Lehman Brothers que, como não é segredo para ninguém, acabou quebrando mesmo sendo uma das maiores instituições bancárias dos Estados Unidos à época.

A trama tenta ilustrar o que aconteceu durante o período de crise, focando especialmente nas negociações dos bancos com o Congresso e o Tesouro dos Estados Unidos na tentativa de salvar o seu futuro.

Embora não seja tecnicamente um documentário, o filme traz uma abordagem bem interessante, sendo bem atrativo para quem já conhece a história da crise financeira ocorrida em 2008.

Para quem não domina o tema, a linguagem pode ser um pouco técnica, dificultando o acompanhamento da narrativa.