O que é TIR - Taxa Interna de Retorno?

TIR é uma sigla para Taxa Interna de Retorno que representa um dos indicadores de análise utilizados no mercado de ações. Sua aplicação é importante pois permite uma melhor: 

  • Avaliação sobre o potencial de retorno de um ativo; 
  • Tomada de decisões financeiras.

Basicamente, esse indicador aponta os possíveis retornos que uma ação poderá oferecer, indicando se eles serão bons ou ruins. 

Ao ser aplicada ao fluxo de caixa de um negócio, seus retornos tornam-se iguais as despesas no presente. O que a caracteriza como uma taxa de desconto hipotética. 

Ou seja, na prática, a taxa interna de retorno visa igualar o valor de uma aplicação com seus futuros retornos. De modo que, minimamente, estes cubram os seus valores presentes.

Mesmo que o objetivo de investidores seja obter lucros acima disso, essa torna-se uma garantia. A partir disso, o percentual TIR é determinado para que um investimento valha a pena.  

Além dos investimentos, também se usa o TIR para analisar a viabilidade de projetos. Em ambos os casos, a intenção é uma: tornar o VPL (Valor Presente Líquido) igual a zero. 

Depois de calcular essa taxa, é comum compará-la com a TMA, a Taxa Mínima de Atratividade

Pois, com isso é possível entender se o investimento ou projeto deverá ser aceito ou não. Quanto maior o TIR for em relação ao TMA, maiores serão as chances de aceitação.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Calcular a Taxa Interna de Retorno (TIR)?

O cálculo da TIR (taxa interna de retorno) à primeira vista parece difícil, devido a composição da sua fórmula. Portanto, o passo inicial é entender cada um de seus componentes:

  • n: número total dos períodos analisados;
  • Σ: soma dos fluxos de todos os períodos;
  • t: período em análise do fluxo de caixa;
  • FCt: fluxo de caixa no período “t”.

Vale destacar que "t" pode ser definido por meses, bimestres, trimestres, semestres ou anos. Agora que você já sabe cada termo presente na fórmula, vamos ao cálculo. 

Com as informações em mãos, divida o FCt (o fluxo de caixa ao longo do tempo) pela soma de “1 + TIR” elevado at” (período a ser analisado).

Em seguida, multiplique o Σ (somatório dos fluxos de todos os períodos) pelo resultado obtido na divisão. O cálculo pode ser realizado através de calculadoras financeiras, facilitando esse processo.

Mas assim como em qualquer outro indicador, a interpretação é parte fundamental em uma análise. Quando falamos de TIR, a taxa de interna de retorno, há 3 possíveis resultados:

  1. TIR superior à TMA: representa um ativo ou projeto economicamente atrativo;
  2. TIR inferior à TMA: indica que um projeto ou investimento não oferece lucros;
  3. TMA igual a TIR: demonstra que o alvo da análise é indiferente, financeiramente falando.

Entre os 3 resultados descritos acima, aquele com o melhor cenário é o primeiro, já o pior está no segundo. O último pode ser evitado em detrimento da busca de opções melhores .

Qual a Importância da TIR - Taxa Interna de Retorno?

A taxa interna de retorno é uma ferramenta financeira bastante útil, pois ajuda investidores a entenderem melhor quando vale a pena ou não aplicar em um ativo. 

Do mesmo modo que, também é importante quando falamos de projetos e sua aprovação. Apesar de complexa para se calcular, a tecnologia oferece diversas soluções para isso: 

  • Calculadoras financeiras;
  • Softwares estatísticos;
  • Planilhas;
  • Etc. 

Depois de obter o resultado, vem a fase de interpretação em que é necessário considerar ainda outros fatores. Como, por exemplo, os riscos existentes e sua relação com a TIR. 

Portanto, a maior vantagem dessa taxa é analisar se um projeto ou ativo será um bom negócio. Especialmente quando aplicada a duas opções, comparando-as para encontrar a melhor.