O que é a teoria do cisne negro?

O Cisne Negro é um conceito criado para representar eventos que podem ser considerados inesperados ou, em outras palavras, um ponto fora da curva (outliers).

Outra característica do conceito é que, embora lide com eventos pouco corriqueiros, estes são considerados de grande impacto, gerando efeitos longos no decorrer da história.

O termo se popularizou a partir do livro “The Black Swan: The Impact of the Highly Improbable” (“O Cisne Negro: o impacto do altamente improvável”, em tradução livre).

O livro foi escrito pelo filósofo e professor de finanças Nassim Taleb e publicado em 2007.

Entretanto, o termo Cisne Negro tem origem bem mais distante.

Até 1697, os ingleses acreditavam que todos os cisnes eram brancos. 

Essa crença foi desmentida quando o explorador holandês Willem de Vlamingh encontrou cisnes negros em uma de suas expedições pela Austrália. 

Esta história serve de metáfora para se referir ao fato de que não é porque um fato não aconteceu que ele não poderá acontecer.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Princípios da Teoria do Cisne Negro

A Teoria do Cisne Negro tem sido trazido por especialistas do mercado financeiro para conceituar os eventos inesperados mas que causam grande impacto nos ativos.

Eventos como crises globais, atentados terroristas de grande escala, a ascensão das empresas de internet, são exemplos de cisnes negros que são praticamente impossíveis de serem previstos.

Mais especificamente, a teoria de Nassim Taleb busca explicar:

  1. Um acontecimento de impacto desproporcional, ou um evento raro aparentemente inverossímil, não abarcado pelas expectativas normais das pessoas.
  2. A incerteza, derivada da impossibilidade de calcular a probabilidade de eventos raros, porém consequentes, através de métodos científicos.
  3. O viés psicológico que leva uma pessoa ou um grupo maior a negligenciar a importância de determinado evento raro no desenrolar da história.

No geral, a Teoria do Cisne Negro descreve um acontecimento inesperado e raro com grandes impactos e ramificações causais. 

Esse tipo de evento é quase impossível de prever e é, portanto, dificilmente mitigável. Contudo, se visto com um certo distanciamento por parte do observador, ele se revela óbvio e inevitável.

Conforme Taleb, a mente humana não é preparada para assimilar eventos do tipo Cisnes Negros, visto que as relações causais do dia a dia são muito complexas e de difícil processamento.

Casos de Cisnes Negros

Vários são os exemplos de eventos do tipo Cisnes Negros que, embora previsíveis após a ocorrência, foi negligenciado por investidores nos mercados financeiros do mundo todo.

Vejamos alguns casos.

Crise de 2008

A crise de 2008, também chamada de crise do subprime, foi um evento global que pegou a economia de todos os países desprevenidos.

Quando analisado em retrospecto, vemos que os calotes e os derivativos estavam aumentando gradativamente desde 2006.

A totalidade dos países desenvolvidos não esperavam que esse evento desencadeasse uma crise de proporções mundiais.

É certo que alguns poucos investidores estavam se preparando para eventos desse tipo,  fazendo caixa, ou apostando contra os índices de mercado.

Mas a verdade é que muitos destes agentes costumam apostar sempre nas tragédias, perdendo dinheiro quando as coisas vão bem, que é o que ocorre na maior parte do tempo no intervalo das crises.

Ou seja, não necessariamente estes investidores ganham mais do que a média do mercado, ou dos fundos que optaram por apostar no crescimento a longo prazo.

Crise da pandemia da Covid-19

Outro caso de Cisne Negro pode ser ilustrado pela crise provocada pela pandemia da Covid-19.

O novo coronavírus, que provoca a covid-19, foi detectado pela primeira vez em Wuhan, no fim de 2019. 

Alguns especialistas vinham alertando desde lá os perigos desta nova doença, mas tanto políticos quanto investidores e a população em geral negligenciaram suas implicações.

Em 12 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou estado de pandemia do novo coronavírus. 

Nos mercados financeiros, esse decreto foi refletido em quedas nas bolsas de valores e comportamento de euforia. 

Olhando hoje, é fácil perceber que todos negligenciaram os impactos do novo coronavírus, cuja capacidade de proliferação mortalidade é maior do que um vírus de gripe comum.

Por ser um evento pouco experimentado pelas pessoas, uma pandemia é um evento considerado de pouca probabilidade de ocorrência.

Desta forma, a crise da Covid-19 pode ser considerada um evento do tipo Cisne Negro.

Além de ter impactado nos mercados financeiros no passado, e também nas formas de socialização e trabalho, a expectativa é que a pandemia traga também implicações futuras.

Muitas empresas estão considerando a manutenção do home office para a maioria dos cargos de escritório.

O ensino online, que surgia como uma tendência futura, tem tido sua adesão acelerada por parte das universidades particulares.

Outros casos também são os atendimentos remotos realizados por médicos, psicólogos, assessores, personal trainers, e outros profissionais.

Conheça um pouco mais sobre Nassim Taleb, sua história, suas obras e como este autor faz seus investimentos.