O que é Papel-moeda
SIMULE AGORA

Papel-moeda

O que é Papel-moeda. Entenda melhor o conceito de Papel-moeda e descubra sua importância!

O que é Papel-moeda

Papel-moeda é a representação do atual sistema monetário, impresso no formato de cédulas. No Brasil, o papel-moeda atual é o Real.

Depois que é validado pelo o Banco Central, o papel-moeda entra em circulação na economia, agindo como o maior intermediário de troca entre bens e serviços.

Banner will be placed here

Origem do Papel-moeda

De acordo com historiadores, a primeira versão conhecida do papel-moeda vem da China, durante o século VII, mas os exemplares mais antigos datam do século XIV.

Nota-se que a maior parte das sociedades pré-capitalistas, o comércio era realizado principalmente através do escambo, isto é, a partir da troca direta de mercadorias.

Entretanto, o escambo tinha algumas limitações. Entre elas, a necessidade de haver um nível de interesse igual entre os comerciantes para ocorrer a troca e a deterioração de produtos perecíveis.

A fim de facilitar o processo de trocas, foi criada a moeda. Com a criação das primeiras moedas, surgiram os primeiros bancos

Os bancos eram inicialmente responsáveis por armazenar e gerenciar as movimentações de dinheiro.

Entretanto, as moedas feitas minérios (como bronze, prata e ouro) muitas vezes não eram práticas. Assim, foram criadas as notas promissórias

Durante a Idade Média, surgiu o costume de guardar as moedas com ourives e, como garantia, era entregue um recibo.

Esse recibo, também conhecido como notas promissórias, eram entregues para aqueles que retiravam ou depositavam moedas. Dessa forma, surgiu o papel-moeda.

O padrão papel-moeda surgiu em meados do século XX lastreado em ouro. Posteriormente, com a redução do ouro como base monetária, substituído pela moeda fiduciária.

Como é feito o papel-moeda 

A fim de evitar falsificações e garantir o poder de compra, a emissão de papel-moeda passou a ser controlada por governos.

Atualmente, o papel-moeda obedece a um rigoroso padrão de impressão, garantindo sua segurança e durabilidade.

Existem apenas quatro empresas no mundo responsáveis por fornecer a matéria-prima utilizada em sua fabricação. Na América Latina, a empresa fornecedora é a Fedrigoni, localizada em Salto (SP).

Depois de fabricada, a matéria-prima é encaminhada para a Casa da Moeda do Brasil (CMB), que é responsável pela impressão do nosso papel-moeda, o Real (R$).  

Impressão de papel-moeda 

A emissão de papel-moeda é um processo que envolve a maior autoridade monetária do país, o Banco Central do Brasil (Bacen).

Enquanto o Bacen é responsável pelo controle, emissão e distribuição do dinheiro, enquanto a Casa da Moeda é responsável por imprimir as cédulas e cunhar as moedas conforme a solicitação do Bacen.

Por sua vez, o Conselho Monetário Nacional (CMN) é responsável pela formulação da política de moeda e crédito.

O objetivo do CMN é manter a estabilidade da moeda nacional e o desenvolvimento econômico e social do país.

Cabe ressaltar que a riqueza de um determinado país não se mensura a partir da quantidade de papel-moeda circulante. As cédulas são apenas símbolos, que representam os bens e serviços disponíveis.

A quantidade de papel-moeda impressa é dada a partir da relação entre oferta e demanda de bens e serviços disponíveis no país.

Por sua vez, se o papel-moeda fosse distribuído livremente, sem considerar essa relação de equivalência entre oferta e demanda, haveria uma desvalorização do Real.

Além disso, os bens e serviços teriam seus valores afetados pela inflação, trazendo sérios problemas para a economia.

Papel-moeda do Brasil: Real

O atual design do papel-moeda brasileiro, o Real (R$) contém a efígie da República Federativa do Brasil e, do outro lado, animais da fauna brasileira:

  • R$ 2,00 (dois Reais) – Tartaruga-pente;
  • R$ 5,00 – Garça;
  • R$ 10,00 –  Arara;
  • R$ 20,00 – Mico-leão-dourado;
  • R$ 50,00 – Onça-pintada;
  • R$ 100,00 – Peixe garoupa.

Por sua vez, os centavos são moedas de metal que têm ilustrações de personalidades importantes da história do país:

  • R$ 0,01 (um centavo) – Pedro Álvares Cabral;
  • R$ 0,05 – Joaquim J´osé da Silva Xavier (Tiradentes);
  • R$ 0,10 – Dom Pedro I;
  • R$ 0,25 – Marechal Manuel Deodoro da Fonseca;
  • R$ 0,50 – José Maria da Silva Paranhos Júnior (Barão de Rio Branco);

Até 2005, o Bacen produzia a cédula de R$ 1,00 (um Real) tinha a efígie e o beija-flor, que foi substituída pela moeda R$ 1,00, que tem apenas a efígie.

Cada moeda, de papel ou metal, tem tamanhos e cores diferentes. Entre os itens de segurança, estão a marca d’água, impressão em alto relevo e micro impressões.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE