O que é Matemática Financeira

Matemática Financeira é a vertente da matemática responsável por estudar tudo aquilo relacionado à equivalência de finanças, ou seja, a variação do dinheiro ao longo do tempo. 

Existem diversos conceitos que são muito utilizados na matemática financeira. Entre eles, cabe destaque para a porcentagem, que justifica a importância da matemática financeira para a realização de uma boa análise fundamentalista.

Além disso, a matemática financeira se mostra importante em diversas outras situações: quando se pensa em investir em imóveis, atuar na bolsa de valores ou escolher uma forma de pagamento, ela se faz presente para auxiliar na melhor escolha possível

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

História da Matemática Financeira

O desenvolvimento da matemática financeira acompanha o desenvolvimento das civilizações: desde as relações comerciais estabelecidas nas antigas civilizações até os processos que vemos atualmente envolvem, de um modo ou outro, a matemática financeira. 

Justamente por isso, não se pode definir ao certo quando a matemática financeira surgiu. Os sumérios, por exemplo, já apresentavam um sistema de juros da colheita há muito tempo atrás. 

Entretanto, apesar de não se ter essa informação bem definida, a matemática financeira se mostrou de extrema importância para o estabelecimento de nossas relações financeiras

Ao longo da história ela se configurou como uma ferramenta essencial para tomadas de decisões

Conceitos da Matemática Financeira

A Matemática financeira é responsável por fornecer embasamento teórico científico para diversas atitudes cotidianas, como renegociação de dívidas, aplicações financeiras, realização de empréstimos, cálculo de descontos, etc. 

Entretanto, para que isso seja feito da melhor maneira possível, é sempre importante que o envolvido em questão conheça alguns dos principais conceitos ligados à essa vertente matemática. Eles são: 

  • Capital:  quantia atual de dinheiro. Pode ser um investimento, uma dívida ou um empréstimo; 
  • Acréscimos: valor a ser adicionado em uma transação comercial devido à taxa aplicada em cima do capital. Ele aumenta o preço e é usado para expandir lucros ou corrigir aumentos de impostos; 
  • Desconto: Valor a ser retirado de uma transação comercial em relação à uma taxa de desconto do capital, diminuindo o valor final. É usado como forma de potencializar vendas, premiar clientes fiéis ou na contribuição de impostos; 
  • Lucro: Valor efetivamente ganho em uma transação comercial. Deve ser obrigatoriamente positivo;
  • Prejuízo: Valor efetivamente perdido em uma transação comercial. Deve ser obrigatoriamente negativo;
  • Taxas de Juros: Percentual que remunera o uso do capital de terceiros durante determinado período de tempo. Podem ser classificadas entre simples e compostas;
  • Rendimento: é a quantidade que um capital aplicado fornece de retorno para a empresa;
  • Montante: Valor futuro da operação. É obtido através da soma do capital inicial com a quantia arrecadada através de juros ou outras formas. 

Podemos ver a enorme abrangência da Matemática Financeira, o que faz com que ela esteja presente em diversas situações do cotidiano, tanto pessoal quanto empresarial. 

Por isso ela é tão importante: auxilia na tomada de decisão em diversas ocasiões. 

No âmbito pessoal, por exemplo, ela possibilita escolher qual o melhor empréstimo ou investimento a se fazer. 

Já no empresarial, ela indica para a empresa se vale mais a pena investir no exterior, em imóveis, em imobilizado, etc. 

Matemática Financeira e Juros

Ainda abordando conceitos essenciais para a Matemática Financeira, é importante diferenciar dois diferentes tipos de juros existentes: os simples e compostos. 

Os Juros Simples são calculados em cima de um determinado valor inicial, que não irá mudar ao longo do tempo. Sua fórmula de cálculo é: 

Juros Simples = Capital * Taxa de Juros * Tempo percorrido

Já os Juros Compostos são calculados em cima do valor atual do capital, considerando o quanto foi acrescentado pela última quantia de juros. Por isso, eles são conhecidos como “juros sobre juros”, e o valor a ser pago aumenta de forma exponencial. 

A fórmula para o cálculo do montante quando utilizados os Juros Compostos é:

Montante = Capital * (1 + Taxa de Juros)^^^ tempo

Essa fórmula é muito importante para investidores, já que as aplicações rendem com juros compostos ao longo do tempo.