O que é Juros Compostos

Juros Compostos é um tipo de taxa de juros, caracterizada por incidir tanto sobre o valor inicial, quanto sobre o valor dos juros acumulados ao longo do tempo.

Também conhecido como “juros sobre juros”, os Juros Compostos são o tipo de juros mais comuns atualmente no sistema financeiro brasileiro, já que podem ser uma boa forma de geração de riqueza ao longo prazo.

Como o acréscimo de juros é exponencial, quanto maior o tempo de investimento, maior o valor acumulado ao final. Isto porque a cada mês que passa, o investidor ganha mais do que no mês anterior.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como calcular Juros Compostos

Os juros compostos são calculados da seguinte maneira:

  • M = C (1+i)t

No qual,

M = Montante Final

C = Capital aplicado

i= Taxa de juros

t = tempo da aplicação

Assim, para calcular o rendimento de um investimento de R$ 1.000,00 (mil reais), ao longo de 2 anos (24 meses), a uma taxa de 1% ao mês, deve-se fazer a conta:

  • M = 1.000 (1 + 0,01)24
  • M = 1.000 x 1,269
  • M = 1269,73

O montante final seria de R$ 1269,73 ao longo de dois anos.

Contudo, não é necessário decorar a fórmula para calcular os juros compostos. O Banco Central possui uma Calculadora do Cidadão, na qual é possível realizar simulações. 

Diferença entre Juros Compostos e Juros Simples

Os juros simples são o tipo de juros no qual o valor da taxa não se altera ao longo do período e os juros são cobrados somente sobre o valor inicial. Assim, este tipo de juros possui uma curva de crescimento linear.

Nesse sentido, o pagamento dos juros simples é feito de maneira constante: o investidor recebe os lucros em cima do montante inicial uma vez por mês, ou uma vez por ano.

Por exemplo:

  • Se uma pessoa investe R$ 2.000,00 (dois mil reais) a 10% a.m. (ao mês), durante 1 ano (12 meses), ela receberá R$ 200,00 (duzentos reais) mensalmente. Assim, ao final do ano, o sujeito receberá R$ 2.400,00 (dois mil e quatrocentos reais).  

Por outro lado, os juros compostos, como já dito, incidem sobre o valor inicial e sobre o valor dos juros acumulados. Eles possuem, então, uma curva de crescimento exponencial.

O pagamento, ao contrário dos juros simples, é realizado ao final do vencimento do investimento, já que os juros do período seguinte incidem sobre os juros do período anterior, resultando no que é chamado de “juros sobre juros”.

Por exemplo:

  • A mesma pessoa que investe R$ 2.000,00 (dois mil reais) a 10% a.m. (ao mês), durante 1 ano (12 meses), o cálculo será feito a partir do valor acumulado. Assim, ao final desse período de tempo, ela terá acumulado R$ 6.276,86 (seis mil duzentos e setenta e seis reais e oitenta e seis centavos). 

Juros Compostos e investimentos

Considerando todas as características dos juros compostos expostas até aqui (juros sobre juros e curva de crescimento exponencial), este tipo de taxa se torna muito importante para os investimentos.

Isto porque, ao levarmos em conta o período que o dinheiro será aplicado, o montante acumulado será cada vez maior. Dessa maneira, os investimentos com juros compostos são a melhor forma de potencializar a rentabilidade dos investimentos.

Os investimentos de renda fixa, por exemplo, utilizam os juros compostos e o dinheiro continua rendendo até o momento que o investidor o resgatar. Os quatro principais investimentos desse tipo são:

  • Tesouro Direto
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Portanto, os juros compostos podem ser usados a favor de quem deseja ampliar seu patrimônio consideravelmente. Contudo, é um investimento de longo prazo. É necessário ter paciência e planejamento para conseguir um bom resultado 

Caso ainda tenha alguma dúvida sobre o que é Juros Compostos, consulte o artigo completo sobre Juros Compostos.