Fundo imobiliário HGFF11 fecha novembro sem grandes movimentações e mantém patamar de distribuição. 

A gestão do fundo imobiliário HGFF11 optou por manter a austeridade durante o passado mês de novembro. 

Conforme explica a gestora no relatório gerencial do mês, o cenário político e econômico local, com inflação e risco fiscal em destaque, contribuíram para uma deterioração nas projeções econômicas. 

Assim, a CSHG optou por realizar apenas ajustes pontuais de posições dentro de cada estratégia, sem elevadas alterações na alocação setorial do fundo e sem grandes movimentações de secundário.

Com isso, o fundo manteve sua distribuição em R$ 0,55. 

No documento, se nota o otimismo que se instala pouco a pouco no mercado. 

Segundo a gestora, é possível que ocorra uma elevação do patamar de distribuição no curto prazo, tendo em vista o arrefecimento da pandemia e maiores indexadores de juros e inflação. 

Se você busca maneiras mais eficientes de ampliar seu capital e receber uma renda mensal isenta de IR, deve investir nos melhores fundos imobiliários, principalmente os FIIs que compõem o IFIX (índice dos fiis listados em bolsa).

Por isso, conhecer as características do HGFF11 é fundamental!

Neste artigo, você entenderá: 

  • O que é HGFF11;
  • Rendimentos do HGFF11;
  • Resumo da Carteira do HGFF11;
  • Liquidez do HGFF11;
  • Principais riscos do HGFF11;
  • Se o HGFF11 vale a pena. 

Leia até o final e descubra se o Fundo Imobiliário CSHG Imobiliário FOF (HGFF11) vale a pena e deve fazer parte de sua carteira!

O que é HGFF11 FII?

O código HGFF11 identifica o fundo imobiliário CSHG Imobiliário FOF, que tem por objetivo gerar renda isenta de impostos e valorização de suas cotas. 

Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo, o HGFF11 é um fundo de fundos, que investe a maior parte de seus recursos em cotas de outros fundos imobiliários.  

O fundo tem dois ativos alvo: Fundos imobiliários, que representam  maior parte da carteira, e CRI (Certificados de Recebíveis Imobiliários), que ocupam menor posição. 

As atividades do fundo HGFF11 começaram em agosto de 2019, trazendo ao mercado 1,8 milhões de cotas comercializadas a R$ 100 cada. 

O valor de mercado do fundo ao final de novembro de 2021 era de R$ 189,8 milhões. 

Banner will be placed here

HGFF11 Rendimentos

No mês de março, o fundo anunciou a distribuição de rendimentos no valor de R$ 0,55 em dividendos por cota, referente a novembro.

Conforme informado pela gestora, o patamar atual de distribuição de renda leva em consideração as receitas recorrentes do fundo e desconsidera ganhos de capital em negociações de cotas. 

Vale destacar que, ainda de acordo com a instituição, é possível ocorrer um incremento na distribuição de rendimentos no curto prazo, tendo em vista o arrefecimento da pandemia e maiores indexadores de juros e inflação. 

O dividend yield (DY) no período,  calculado pela divisão do rendimento anualizado sobre a cota valor de mercado. é de 9,96%. 

A imagem abaixo mostra os rendimentos mensais do HGFF11 entre dezembro de 2020 e novembro de 2021. 

Rendimentos mensais HGFF11
Rendimentos mensais HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

HGFF11 Rentabilidade

Desde seu início, em agosto de 2019, o fundo apresenta uma rentabilidade de -24,2, considerando a cota de mercado, e de -1,5%, ao considerar a cota patrimonial ajustada. 

O retorno do IFIX no mesmo período foi de -1,8%.

No mês de novembro, a rentabilidade do Fundo foi de -3,5% (patrimonial ajustada) e -8,6% (mercado), enquanto o IFIX marcou -3,6% e o CDI 0,6%. 

A imagem abaixo mostra a tabela de rentabilidade do HGFF11 em diferentes períodos e compara os índices com indicadores de mercado. 

Rentabilidade HGFF11
Rentabilidade HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Resumo da Carteira do HGFF11 

A carteira do HGFF11 é essencialmente composta por cotas de outros fundos imobiliários (FIIs), porém apresenta pequena parcela investida em ativos de renda fixa.

Ao final de novembro/21, o fundo mantinha 97,9% de seu patrimônio líquido investido em FIIs, enquanto 2,1% estavam alocados em renda fixa. 

Carteira HGFF11
Carteira HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Na data, os Fundos de CRI representavam a maior exposição do HGFF11 (27% sobre os ativos alvo). 

Na sequência, estavam os Fundos de lajes corporativas, tomando 20%, e os de logística/industrial, representando 17,6%. 

A imagem abaixo detalha a alocação do HGFF11 por setor de atuação e a compara com o IFIX. 

Alocação por setor de atuação HGFF11
Alocação por setor de atuação HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

O tipo de alocação mais presente na carteira é a estratégia tática, que prioriza a tese fundamentalista, exposições setoriais e com geração de valor a médio/longo prazo.

A imagem abaixo mostra a posição da carteira do HGFF11 em novembro de 2021 por tipo de alocação (% de Ativos Alvo).

Diversificação estratégica HGFF11
Diversificação estratégica HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Diversificação

A carteira atual do HGFF11 é composta por 34 Fundos Imobiliários, sendo o mais representativo o HGRU11 (CSHG Renda Urbana-FI Imobiliario-FII).

Esse FII, também gerido pela CSHG, representa 8,77% da carteira do HGFF11. 

A imagem abaixo mostra a composição da carteira de FIIs do HGFF11 em relação ao percentual de ativos alvo. O item identificado como “Outros” representa os FIIs com participação inferior a 2%.  

Carteira de FII HGFF11
Carteira de FII HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Cabe destacar que 25,6% dos ativos na carteira do HGFF11 são cotas de outros fundos da mesma administradora/gestora, conforme mostra a imagem abaixo. 

Diversificação por gestor HGFF11
Diversificação por gestor HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Negociação e Liquidez HGFF11

No mês de novembro/21, o HGFF11 registrou um giro de 6,5% de suas cotas, somando um volume aproximado de R$ 12,86 milhões. 

A média diária no período foi de cerca de R$ 700 mil. 

Nos 12 meses anteriores, o giro de cotas do Fundo chegou a 62,7%, totalizando um volume aproximado de R$ 151,77 milhões. 

A média diária aproximada é de R$ 575 mil. 

O gráfico abaixo mostra a evolução do volume financeiro movimentado e do número de cotistas (em azul escuro) do HGFF11.

Liquidez HGFF11
Liquidez HGFF11. Fonte: Relatório Gerencial.

Riscos do HGFF11

Os principais riscos do HGFF11 são: Liquidez,  de mercado, de concentração, de crédito e de conflito de interesses. 

Risco de Liquidez

O risco de liquidez se relaciona com a conversão de uma cota de fundo imobiliário em dinheiro. 

O processo de venda das cotas depende do mercado secundário, uma vez que os fundos imobiliários não admitem o resgate antecipado. 

Embora o HGFF11 venha ampliando sua liquidez no mercado secundário, ainda não ultrapassou a barreira do R$ 1 milhão que otimiza a segurança de quem investe. 

Cabe ressaltar, porém, que mesmo com uma liquidez consistente, não existem garantias quanto a valores ou prazos de venda para as cotas do HGFF11 ou de qualquer outro fundo imobiliário. 

Risco de Mercado

O risco de mercado representa a possibilidade de oscilação negativa no preço ou na rentabilidade de um fundo. 

No HGFF11, se busca minimizar o risco com a diversificação, uma gestão ativa e fundos sólidos. 

Ainda assim, os rendimentos gerados pela compra e venda de FIIs é importante fonte de renda para fundos de fundos, e uma oscilação no mercado poderia afetar seus resultados.

Risco de Concentração

O risco de concentração se refere à diversificação de títulos, gestores e segmentos adotada pela gestão do fundo. 

Em fundos de fundos, como é o caso do HGFF11, esse risco é avaliado analisando a distribuição de capital em busca de concentração excessiva em um único ativo. 

Quanto mais pulverizada for a carteira, melhor para a segurança de quem investe no fundo, já que o risco se torna diversificado. 

A maior exposição do HGFF11 corresponde a 8,77% do investido em ativos alvo.
Observando as 5 primeiras, chegamos a uma concentração de 36,95%. 

Já quando se avaliam as 10 principais exposições somam 59%. 

Risco de Crédito

O risco de crédito afeta títulos de dívidas, como os CRIs.  

Ele se refere à possibilidade de que o devedor ou o emissor do título não pague o débito. 

Como esses títulos são lastreados em imóveis ou contam com outras garantias, esses ativos são tomados em pagamento. 

Porém, a conversão desses bens em dinheiro leva um tempo, sobre o qual não existem garantias.

Esse risco também afeta o HGFF11, uma vez que investe em Fundos de CRI.   

Risco de Potencial Conflito de Interesses

A administradora e gestora do HGFF11 exerce atividades similares em outros fundos imobiliários, como o HGRE11 e o HGRU11

De fato, o HGFF11 possui mais de 25% do capital investido em ativos alvo aplicados em Fundos administrados/geridos pela CSHG.  

Assim, optando por aplicar recursos em fundos que ela mesma administra, pode-se criar uma situação de conflito de interesses potencial ou efetiva.

Dados do HGFF11

Veja agora os dados do fundo imobiliário HGFF11:

  • Razão Social: Fundo de Investimento Imobiliário CSHG Imobiliário FOF
  • CNPJ:32.784.898/0001-22
  • Administradora: Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.
  • Público Alvo: Investidores em Geral
  • Segmento: Gestão Ativa - Títulos e Valores Mobiliários
  • Patrimônio Líquido  (11/21): R$ 241.961.375,26
  • Taxa de Administração: 0,80% a.a. (ao ano) sobre o valor de mercado do fundo
  • Taxa de Performance: 20% sobre o que exceder a variação do IFIX
  • Início do Fundo: 20 de fevereiro de 2019
  • Quantidade de Emissões: 2
  • Número de Cotistas (11/21): 9.213
  • Número de Cotas do HGFF11: 2.863.597
  • Regulamento do HGFF11
  • Relatório Gerencial  HGFF11
  • HGFF11 Site Oficial (RI)

HGFF11 Subscrição

A subscrição é um direito do investidor de um fundo imobiliário. Ele assegura que o cotista possa manter seu percentual de participação no fundo ante uma nova emissão.

Na prática, o fundo emite novas cotas (geralmente a preço mais baixo) e o cotista tem a preferência na compra, sempre proporcional ao número atual de cotas que possuir do fundo.

Caso não queira usar o direito de subscrição, alguns fundos permitem que você venda esse direito através do home broker da sua corretora de valores.

A mais recente emissão de cotas do HGFF11 aconteceu em agosto de 2020, e ofereceu um fator de proporção de 1,16322333333. 

Isso significa que para cada 100 cotas detidas na data do anúncio, o cotista do Fundo pode adquirir 116 novas cotas ao preço de emissão (R$ 95,52). 

Dúvidas sobre HGFF11

Veja as dúvidas mais comuns sobre o HGFF11.

Como comprar HGFF11?

A compra de cotas do HGFF11 é feita através das corretoras de valores. Abrir sua conta em uma delas e transferir o montante que deseja investir para ela são os primeiros passos. 

Então, basta acessar o Home Broker, buscar o fundo pelo código (HGFF11) e selecionar o número de cotas e valor a pagar. 

Envie a ordem de compra e aguarde a confirmação. 

Onde achar o informe de rendimentos do HGFF11?

O informe de rendimentos do HGFF11 é disponibilizado pela gestora em seu site oficial. Você ainda o pode encontrar neste mesmo artigo, em Dados do HGFF11.

Onde achar o relatório gerencial do HGFF11?

O relatório do HGFF11 está disponível no site oficial do fundo. Além disso, você o encontra neste artigo, na seção Dados do HGFF11

Como declarar o fundo imobiliário HGFF11 no IR?

Para descobrir como declarar o fundo imobiliário HGFF11 no imposto de renda, consulte o artigo como declarar o imposto de renda sobre investimentos.

HGFF11 Vale a Pena?

O HGFF11 é um fundo de fundos que está no mercado desde meados de 2019 e conta com 34 ativos distintos em sua carteira.

No geral, o Fundo vem cumprindo seu papel, e gerando renda recorrente estável para seus cotistas. 

A concentração em fundos da própria administradora/gestora é algo a manter em mente, mas que não preocupa. 

O único ponto negativo claro é que o HGFF11 ainda não bateu a “meta”do R$ 1 milhão em liquidez diária. 

Por isso,  não recomendo o HGFF11 neste momento. Caso opte por investir, não vá muito longe. 

Lembre-se que é preciso manter uma alocação de ativos adequada, baseada em seu perfil de investidor, para minimizar os riscos de investimento. 

Agora, me conte uma coisa: Quais fundos imobiliários quer conhecer melhor? 

Responda nos comentários! A próxima análise pode ser a que você pediu.

Preparei um relatório com 3 Melhores FIIs para Receber Aluguéis. Baixe uma cópia e comece a ganhar renda de aluguéis, mesmo que já invista em FIIs ou ainda não saiba como investir.

Lembre-se que antes de investir em fundos imobiliários é necessário conhecer seu perfil de investidor para fazer uma boa alocação de ativos e se expor a um nível adequado de risco.

Publiquei o livro Método Fayh na Amazon explicando tudo sobre como escolher os melhores fundos imobiliários do mercado para viver de renda. Mesmo que você já invista, recomendo fortemente a leitura.