O GPA (PCAR3) celebrou um acordo para encerrar amigavelmente o processo de arbitragem iniciado em 2017 pelo Fundo de Investimento Imobiliário Península.

O processo discutia certas divergências relacionadas ao valor dos aluguéis e outras questões operacionais relacionadas a 60 imóveis de propriedade da Península.

Os contratos de locação de longo prazo celebrados em 2005 asseguram ao GPA o uso e exploração comercial dos referidos imóveis por 20 anos a contar da sua celebração, renováveis por mais 20 anos a critério exclusivo da companhia.

"O acordo firmado resolveu amigavelmente as controvérsias do passado e aprimorou os contratos, mantendo o prazo de vigência das locações, com novas regras mais adaptadas ao mercado atual”.

“O acordo também possibilita a otimização do uso dos imóveis e trazem potencial de ganho para ambas as partes", disse o GPA em nova enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Resultado do Pão de Açúcar no Primeiro TrimEstre de 2021

O resultado do Pão de Açúcar (PCAR3) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 05 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 113 milhões no 1t21, contra prejuízo de R$ 246 milhões em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda do Pão de Açúcar atingiu R$ 875 milhões no 1T21, apresentando crescimento de 84,6% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda do Pão de Açúcar totalizou 7,0% no 1T21, apresentando crescimento de 3,0 pontos percentuais na comparação com o 1T20. 

A Margem Líquida do Pão de Açúcar atingiu 0,9% no 1T21, apresentando crescimento de 2,9 pontos percentuais na comparação com o 1T20.

As ações do Pão de Açúcar (PCAR3) acumulam queda de 3,47% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 32,86% nos últimos 12 meses.

Informe o DDD + 9 dígitos

Fonte: Estadão Conteúdo.