Embraer (EMBR3) Negocia Parcerias em Aeronaves Turboélice
| ,

Embraer (EMBR3) Negocia Parcerias em Aeronaves Turboélice

A Embraer (EMBR3) está negociando com parceiros para desenvolver uma aeronave turboélice, disse o chefe da unidade de aviação.

Por
Atualizado em 25/11/2020

A Embraer (EMBR3) está negociando com potenciais parceiros para desenvolver uma nova aeronave turboélice, disse o chefe da unidade de aviação comercial da empresa à Reuters.

“Estamos em negociações ativas sobre parcerias (para turboélice), mas não posso entrar em mais detalhes agora”, disse o presidente-executivo de aviação comercial, Arjan Meijer.

Banner will be placed here

“O tipo de parceria, seja industrial ou financeira, é amplamente aberta. Estamos examinando todas as opções, ou pode ser uma combinação das duas … Não estamos descartando ninguém neste momento.”

Analistas dizem que tal desenvolvimento pode custar US $ 2 bilhões.

Tal movimento poderia abalar um nicho lucrativo dominado pelo ATR da Europa, que antes da crise previa uma demanda de 20 anos por 3.020 turboélices no valor de US $ 80 bilhões.

Os turboélices podem ser mais eficientes do que os jatos em viagens curtas.

Mas a demanda está em declínio devido ao excesso de aviões usados ​​e à exposição do mercado a pequenas operadoras duramente atingidas pelo COVID-19.

ATR entregou apenas um avião em janeiro-setembro.

Os turboélices também são vistos como os primeiros a enfrentar a concorrência futura de uma propulsão alternativa como o hidrogênio.

Meijer disse que o projeto da Embraer seria movido de forma convencional, mas reduziria as emissões e o ruído. Mas uma decisão de lançamento se estenderia “além de 2021”, já que a indústria se concentra na recuperação.

Os países cujas indústrias expressaram interesse em turboélices incluem a Coreia do Sul, disseram fontes da indústria.

A Saab da Suécia rejeitou as especulações de alguns funcionários do setor de que poderia considerar o empreendimento, tendo parado de construir turboélices civis em 1999 para se concentrar na defesa.

“A Saab não tem planos de reiniciar o desenvolvimento e produção de aeronaves civis”, disse um porta-voz, acrescentando que seu foco de investimento também continua sendo a defesa, incluindo fortes laços com o Brasil.

Como ser Sócio dos Melhores Negócios? Baixe Grátis o Relatório “As Melhores Empresas para Investir”.

A Embraer já havia procurado desenvolver seu turboélice como parte de sua parceria com a Boeing. Agora ela diz que quer apenas alianças lideradas por projetos e que a unidade comercial não está à venda.

“Somos uma empresa forte e temos uma boa posição de caixa, por isso estamos olhando para o futuro com muita confiança”, disse Meijer.

Menores Jatos, Menos risco

Ainda assim, analistas dizem que a Embraer foi deixada isolada enquanto o rival de seu jato regional E2, o canadense A220, reviveu com o apoio do novo proprietário, a Airbus – uma parceria que a Embraer esperava resistir fazendo parceria com a Boeing.

Meijer culpou os compradores que esperavam pelo acordo com a Boeing pela recente queda nos pedidos da E2, seguida rapidamente pela pandemia. No longo prazo, porém, ele viu as consequências da pandemia impulsionando a Embraer.

Embora a maioria das previsões sugira uma recuperação total do tráfego em 2024-25, “para nosso segmento abaixo de 150 assentos, acreditamos que se recuperará muito mais cedo”, disse Meijer.

“As companhias aéreas que podem voar em aviões menores o fazem.”

Quando as viagens internacionais se recuperarem, as companhias aéreas que atendem aos hubs também usarão jatos alimentadores menores, disse Meijer. 

Isso o coloca em desacordo com as companhias aéreas de baixo custo que veem os hubs como desatualizados e reduzem os preços para abastecer seus modelos maiores de Airbus e Boeing.

“Acreditamos fortemente que as companhias aéreas precisarão se concentrar na lucratividade”, disse Meijer.

Ele também disse que a Embraer continua comprometida com o menor E2, o atrasado E175-E2, que está fora do mercado americano devido às regras sindicais sobre o tamanho dos jatos usados ​​por algumas companhias aéreas regionais.

Questionado sobre se a Embraer invadiria a área da Airbus e da Boeing acima de 150 assentos, ele disse: “O foco da Embraer é expandir nossa liderança no segmento de até 150 assentos”.

Como ser Sócio dos Melhores Negócios? Baixe Grátis o Relatório “As Melhores Empresas para Investir”.

Resultado da Embraer no Segundo Trimestre de 2020

O resultado da Embraer (EMBR3) no segundo trimestre de 2020 (2t20), divulgado no dia 05 de agosto, apresentou um prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão, revertendo o lucro de R$ 33,8 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda da Embraer atingiu -R$ 1.150 milhões no 2t20, apresentando retração de 540% na comparação com o 2t19.

A margem Ebitda da Embraer totalizou -40.2% no 2t20, apresentando retração de 927% na comparação com o 2t19. 

As ações da Embraer (EMBR3) acumulam alta de 11,54% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 52,78% nos últimos 12 meses.

Notícias do Mercado Financeiro

Fonte: Reuters.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE