O que é custo da mercadoria vendida (CMV)?

Custo da mercadoria vendida (CMV) é a soma das despesas para produzir e armazenar uma mercadoria até que a venda seja realizada. 

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Mais especificamente, o CMV calcula o custo das mercadorias vendidas com base não apenas no que foi pago por elas, mas incluindo também os estoques que não foram vendidos.

Este indicador financeiro é aplicado principalmente ao comércio, tendo o objetivo principal de indicar o custo das vendas em um determinado período e auxiliando na gestão de estoques da empresa.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como calcular o custo da mercadoria vendida (CMV)?

Calcular o CMV é um processo muito simples. 

No geral, o CMV realiza o cálculo do custo das mercadorias levando em conta principalmente o que não é vendido. 

Basicamente, o cálculo do CMV é feito a partir da seguinte fórmula:

CMV = estoque inicial + compras durante o período - estoque final

Essa fórmula ainda pode ser expandida ao adicionarmos as devoluções de vendas e devoluções de compras.

Assim, temos a fórmula expandida do CMV dada como:

CMV = estoque inicial + compras durante o período + devolução de compras - estoque final - devolução de vendas

O cálculo pode ser feito tanto com unidades quanto com valores monetários. Vai depender da análise que se pretende fazer. 

Como interpretar o custo da mercadoria vendida (CMV)?

Vimos que o cálculo do CMV é muito simples, mas não adianta nada fazê-lo sem saber para que serve e como interpretar seu resultado.

O CMV nada mais é do que uma forma de calcular custos levando em conta os estoques não vendidos.

De que adianta o comerciante obter uma elevada margem de lucro sobre seus produtos se o número de vendas é baixo?

O que irá acontecer, neste caso, é que o dinheiro gasto na compra dos produtos não será revertido em ganho financeiro.

Suponhamos que um comerciante qualquer tenha gasto R$100.000,00 na compra de seu estoque de produtos para a venda.

Consideremos que o proprietário do comércio aplique uma margem de 50% de lucro sobre o valor investido.

Se a empresa conseguiu vender 50% da produção em um determinado período, então temos que a receita foi de R$75.000,00. 

Neste caso, o comerciante terá o valor de R$50.000,00 em estoques e R$75.000,00 em dinheiro que entrou no caixa da empresa.

Desta forma, teremos que o CMV será de R$50.000,00, pois esse é o resultado do estoque inicial menos o estoque final.

Esse valor, portanto, deverá ser incluído no cálculo do lucro bruto da empresa, pois é um custo que se teve para vender os produtos.

Lembre-se que a empresa gastou R$100.000,00 para ganhar uma receita com vendas de R$75.000,00.

Aqui temos que o CMV é extremamente importante para que o empresário saiba quanto foi investido no produto em termos proporcionais.

Na contabilidade, o custo de mercadoria vendida é um dos itens que aparecem na DRE (Demonstração de Resultados do Período). 

Ou seja, ele corresponde ao custo total das mercadorias vendidas pela empresa, e não apenas de um produto específico.

Portanto, o resultado do CMV deverá ser subtraído da receita líquida junto com as despesas, resultando no EBIT (Lucro antes de juros e Imposto de renda).

No exemplo acima, podemos ter uma noção de que o lucro da empresa foi negativo no período.

Isso porque, pegando a receita líquida (R$75.000,00), menos as despesas do produto vendido (R$50.000,00), e menos o CMV, temos um valor negativo de R$25.000,00.

Devemos ter em mente que o estoque restante pode ser totalmente vendido em um período posterior e, dessa forma, gerar lucro.

Entretanto, naquele período considerado, no qual o estoque não foi vendido, temos um resultado negativo.