O que é curva J?

Curva J é um gráfico com formato de uma forte queda inicial mas que imediatamente é seguido por uma subida elevada, sinalizando uma forte recuperação. 

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Em um gráfico, esse padrão de atividade seguiria a forma de um "J" maiúsculo quando olhado de uma posição diagonal.

O efeito da curva J é frequentemente citado na economia para descrever, por exemplo, o efeito de uma desvalorização cambial na balança comercial de um país.

Para este caso, geralmente temos uma queda forte na balança comercial, derivada do encarecimento das importações. 

Em seguida é comum ter uma melhora significativa, oriunda do aumento do valor das exportações.

Embora seja mais utilizado em economia e finanças, as curvas J são observadas também em outros campos de estudo, como na medicina e ciência política. 

Em cada caso, a regra geral é que a curva J representa uma perda inicial seguida por um ganho significativo a um nível que excede o ponto inicial.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona a curva J?

A curva J é útil para demonstrar os efeitos de um evento ou ação em um determinado período de tempo, no qual as coisas pioram antes de melhorar.

No exemplo sobre a observação do padrão de uma curva J na balança comercial, a partir do efeito de uma desvalorização cambial, pode ser representado conforme a figura abaixo.

O padrão da curva J sobre o evento de uma desvalorização cambial pode ser expresso pelas seguintes fases:

  1. Imediatamente após a desvalorização da moeda de um país, as importações ficam mais caras e as exportações, mais baratas.
  2. Isso cria um déficit comercial cada vez maior (ou pelo menos um superávit comercial menor), o que gera a parte da queda na curva J.
  3. Pouco depois, o volume de vendas das exportações do país começa a aumentar de forma constante, pois os preços dos produtos nacionais ficam mais baratos no exterior. 
  4. Ao mesmo tempo, os consumidores em casa começam a comprar mais bens produzidos localmente porque são relativamente acessíveis em comparação com os produtos importados.
  5. Com o tempo, a balança comercial entre o país e seus parceiros se recupera e até ultrapassa os tempos anteriores à desvalorização, representando a parte ascendente da curva J.

Resumindo, a desvalorização da moeda nacional teve um efeito negativo imediato por causa de um atraso inevitável no atendimento da maior demanda pelos produtos do país.

Já quando a moeda de um país se valoriza, pode acontecer de termos uma curva J reversa

Aqui as exportações do país tornam-se abruptamente mais caras para os países importadores, gerando um superávit comercial em um primeiro momento.

Se outros países conseguirem atender à demanda por um preço mais baixo, a moeda mais forte reduzirá sua competitividade das exportações do país que teve sua moeda valorizada. 

Os consumidores locais também podem mudar para as importações, porque se tornaram mais competitivos com os produtos produzidos localmente.

Dessa forma, teremos uma queda posterior no saldo da balança comercial.

Curva J em investimentos

A curva J nada mais é do que uma representação gráfica de uma lógica que visa mostrar que as coisas pioram antes de melhorar.

O termo curva J é muito usado por profissionais da área de finanças para explicar aos seus clientes a trajetória dos investimentos em termos de rentabilidade.

É muito comum haver uma queda de capital nos primeiros instantes após a construção de uma carteira de investimento.

Muitos já têm noção que os preços de ativos sobem e caem todos os dias no mercado financeiro.

As quedas são, muitas vezes, derivadas de correções feitas pelos agentes do mercado, que vendem seus ativos para realizar seus lucros.

Essas quedas são úteis para tornar os ativos atraentes para novos investidores, cujo aumento de demanda irá pressionar os preços e levar a ganhos de capital.

A curva J também é muito visível na administração de empresas.

Quando uma empresa realiza um investimento tende a presenciar momentos de deterioração financeira.

Essa deterioração ocorre pela queda do dinheiro que estava em caixa e também do aumento dos custos de crédito.

Em um primeiro momento, o investimento dificilmente entrega algum ganho para a empresa, gerando apenas gasto.

O ganho virá só com o tempo, a partir da maturação do investimento.

Portanto, se há algo que a curva J tem a nos ensinar é ter paciência e saber conviver com perdas no curto prazo para conquistar ganhos no longo prazo.