O que é Ativo Subjacente

Ativo Subjacente é um termo utilizado no mercado financeiro para designar ativos nos quais o preço de um derivado é baseado, ou sobre o qual se confecciona um contrato derivativo.

Em outros termos, são os ativos primários dos ativos derivativos, portanto, o ativo que determina o valor de um derivativo, seja existindo fisicamente ou virtualmente.

Esse instrumento financeiro, também conhecido como underlying, ativo-objeto ou ativo de suporte, pode assumir diversas formas a depender de sua substância e de seu derivativo.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o Ativo Subjacente

Para explicar como funciona o Ativo Subjacente, precisamos relembrar o que é o mercado futuro, o mercado de opções, bem como o que são derivativos. 

O mercado futuro é o espaço em que são negociados contratos de compra e venda de produtos que serão realizados somente em data futura, a preço fixado.

Um investidor, ao se lançar ao mercado de opções e decidir comprar uma opção de compra ou venda de um ativo, está tentando se blindar das flutuações inerentes ao mercado e a volatilidade dos preços. 

Já os derivativos são um instrumento financeiro que tem o valor final atrelado ao preço de um ativo, de uma taxa de referência ou mesmo de um índice de mercado. Dessa forma, seu preço e prazo são “derivados”.

Na maioria dos casos, o ativo subjacente é negociado em um mercado à vista, caso o subjacente seja um ativo financeiro, ou nos mercados de contratos futuros e opções.

Assim, quando temos uma contratação de opção ou uma venda futura, ela é feita a partir de um ativo subjacente, que terá como responsabilidade conferir um valor derivado ao que está sendo negociado.

Vale ressaltar que o preço do derivado poderá ser diretamente correlacionado, como na opção de compra, ou inversamente correlacionado, como na opção de venda, ao preço do ativo subjacente.

Exemplos de Ativo Subjacente

Os Ativos Subjacentes podem assumir variadas formas, desde que possuam algum valor. Pode ser uma ação, uma commodity, uma moeda, um índice ou instrumento financeiro.

Em razão disso, suas diferentes classes estão sujeitas a diferentes tipos de risco financeiro, como riscos de mercado, riscos econômicos geral, de inadimplência ou da taxa de juros.

Já os seus derivativos podem ser um contrato de opção de compra ou de venda de ação, um contrato futuro de um índice, um contrato futuro de um instrumento financeiro, ou um contrato futuro de um contrato de opção.

O importante a ser destacado aqui é que o derivativo não tem valor intrínseco, sendo determinado pelo valor do ativo subjacente.

Vejamos um exemplo mais simples. Suponha que o preço de 100kg de soja seja sempre o dobro do preço de 100kg de café. Se o café está R$ 1.000, a soja estará R$ 2.000, e assim por diante.

Logo, no caso acima, podemos afirmar que a soja é um derivativo do café, que será portanto um ativo subjacente. Sempre que refletirmos sobre o valor da soja, teremos que considerar o valor do café.

Um dos títulos derivativos financeiros mais conhecidos são as opções de ações. Essas opções são derivativos, cujo valor é baseado no ativo subjacente.

Para que serve o Ativo Subjacente

Compreender o significado do Ativo Subjacente e saber identificá-lo é de suma importância para qualquer investidor.

A partir da avaliação do comportamento de um ativo subjacente um investidor atento poderá avaliar se determinado derivativo é um bom investimento, pois ele sempre será uma referência.

Além disso, o conceito de ativo subjacente é importante para investidores que buscam lucros na negociação de arbitragem de ativos subjacentes e derivativos, ou seja, receber lucros a partir das diferenças temporárias de mercado.