Aquela imagem do aposentado deitado na rede com vista para o mar, sem nenhuma preocupação financeira, está longe de ser a realidade para a maioria. Existem algumas verdades duras sobre a aposentadoria que você precisa saber.

Desde lidar com custos médicos inesperados até sustentar filhos adultos, os aposentados muitas vezes enfrentam despesas que não previam. 

Além disso, a falta de planejamento financeiro para a aposentadoria impede com que muitos se aposentem na idade desejada.

De acordo com a pesquisa "O Preparo para Aposentadoria no Brasil", realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), oito em cada dez brasileiros não se preparam para a aposentadoria.

Entre os que não estão se preparando para a hora de se aposentar, 47% afirmam que não sobra dinheiro no orçamento e 22% que estão desempregados. 

Outros 19% disseram que já começaram a guardar dinheiro com esse objetivo, porém não conseguiram continuar devido a problemas financeiros e 15% têm outros planos e prioridades. 

O estudo mostra ainda alguns dados curiosos e controversos, indicando a falta de educação financeira.

De acordo com o levantamento, a idade média em que os entrevistados começaram a poupar para a aposentadoria é 28 anos e pretendem se aposentar, em média, com 61 anos.

Porém, o valor reservado para isto é de apenas de R$ 371,38 por mês.

Os meios para se preparar para a aposentadoria também não são os melhores.

Dos entrevistados, 39% citaram a poupança, 30% o INSS pago pela empresa e 23% o INSS pago por conta própria.

A dependência da previdência social é assustadora.

Segundo estudo da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), 81% dos trabalhadores brasileiros dependem exclusivamente do INSS para se aposentar.

As regras mais duras impostas pela reforma da Previdência deixaram o brasileiro mais longe da aposentadoria.

Sem contar que o dinheiro pago é muitas vezes insuficiente para se manter.

Se você não tem certeza de quanto tempo precisará trabalhar ou o que esperar quando se aposentar, descubra as duras verdades sobre a aposentadoria e não dependa do governo ou de caridade no futuro.

1. Parte do sucesso do seu investimento será deixada ao acaso

O que acontece no mercado durante os 10 anos anteriores e posteriores à data de sua aposentadoria pode ter um papel significativo no grau de capitalização de seu portfólio.

“É difícil substituir o dinheiro perdido durante este período de tempo, seja por restrições de tempo ou pela perda de receita auferida”, disse Patrick Daniels, planejador financeiro da Precedent Asset Management em Indianápolis à Go Banking Rates.

Para proteger suas economias de aposentadoria durante o que Daniels chama de janela de alto risco, ele sugeriu que as pessoas “adotem uma abordagem conservadora em seus investimentos”.

Para Joseph Carbone, um planejador financeiro certificado e fundador do Focus Planning Group em Bayport, Nova York, “os aposentados devem procurar investir em estratégias do tipo retorno total que se concentrem na valorização das ações - mais especificamente ações que geram dividendos - e títulos de boa qualidade que não tenham vencimentos longos”.

“Muitos dos meus clientes que estão se aposentando ou se aproximando têm uma alocação de 60% em ações e 40% em títulos, com ênfase em ações e títulos que geram dividendos com duração inferior a seis anos”, disse.

Veja como se proteger da inflação conforme o tempo que falta para a aposentadoria.

​​2. Você pode não estar economizando o suficiente

De acordo com uma pesquisa recente do GOBankingRates cerca de 64% dos americanos têm menos de US$ 10.000 economizados para a aposentadoria.

Mesmo que você planeje passar sua aposentadoria vivendo modestamente, essa quantia não é suficiente. 

Por isso, a recomendação é começar a economizar o mais cedo possível. Dessa forma, terá mais tempo para acumular patrimônio e não precisará contribuir com valores muito altos e, ainda assim, chegará ao seu objetivo.

Infelizmente, não é isso que acontece.

Mais da metade da geração do milênio não possui economias para a aposentadoria, segundo a GOBankingRates.

Os chamados baby boomers, geração mais próxima da idade de aposentadoria, não estão muito melhor.

De acordo com a pesquisa de aposentadoria do GOBankingRates, 30,7% das pessoas com mais de 55 anos têm economias abaixo de US$ 50.000 para este fim, o que é considerado insuficiente. 

Quem deixa para economizar mais tarde pode ter que aumentar suas contribuições ou mesmo adiar a aposentadoria por alguns anos.

Esses são alguns dos arrependimentos mais comuns no planejamento da aposentadoria.

Banner will be placed here

3. Provavelmente você viverá mais do que seus pais, o que custará mais

A expectativa de vida média no Brasil é de 73,1 anos para os homens e 80,1 anos para as mulheres, segundo dados do IBGE de 2019.

A verdade sobre a aposentadoria é que quanto mais vivemos, mais temos que desembolsar para financiar nossos longos anos.

Com as pessoas vivendo mais do que nunca, não é surpresa que sua maior preocupação seja sobreviver à sua renda.

4. Os cuidados de saúde custarão mais do que você espera

Quanto mais velhos, maiores e mais frequentes tendem a se tornar os gastos com planos, remédios, exames e tratamentos. 

Mas só isso não é suficiente para estimar os gastos médios com saúde no futuro.

Segundo estudo publicado em 2019 pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), nos últimos 18 anos, a taxa de inflação acumulada dos planos de saúde individuais e familiares foi de 382%, superando a inflação acumulada no período.

Isso significa, que por mais precisos que sejam os seus cálculos, não há como prever em quanto ficará a inflação nem qual será sua condição de saúde.

Dito isso, pode sim faltar dinheiro.

5. Seus filhos adultos podem atrapalhar seus planos de aposentadoria 

Cortar as regalias de seus filhos adultos pode ser uma etapa necessária se você pretende se aposentar tranquilamente.

De acordo com um relatório da Merrill Lynch e Age Wave, 79% dos pais americanos continuam a sustentar financeiramente seus filhos adultos.

Junte isso ao fato de que na meia-idade também costuma ser a principal idade para obter renda.

Por isso, idealmente, seria a fase com maior renda disponível para destinar às contas de aposentadoria. 

Porém, financiar um ente querido durante esses anos pode ter um sério impacto em suas economias.

Muitos pais ficam presos entre querer ajudar seus filhos a pagar a faculdade e economizar para a aposentadoria, por exemplo.

Segundo Sally Brandon, vice-presidente sênior de atendimento ao cliente e consultoria da Rebalance IRA, “colocar muito dinheiro em um fundo de faculdade não vai ajudar se suas economias para a aposentadoria forem prejudicadas”.

Em vez disso, Brandon sugere estabelecer um orçamento. “Diga a seu filho que parte você pode pagar”, disse ela. “Se você tiver dinheiro extra depois de guardar o que precisa para a aposentadoria, melhor.”