O que é lei da trivialidade?

Viés da trivialidade ou lei da trivialidade (Law of Triviality, em inglês), é um viés cognitivo que nos induz a dar maior atenção para questões triviais, sem tanta importância em determinadas ocasiões.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Esse tipo de viés pode impactar nossas avaliações e comportamentos em praticamente todas as situações de nossa vida.

Desde trabalhos educacionais, relacionamentos amorosos, até em reuniões de negócios para resolver questões importantes sobre um empreendimento.

No geral, os vieses cognitivos são um conjunto de limitações inconscientes que induzem as pessoas a erros de julgamento.

Esse fenômeno psicológico afeta a racionalidade e a precisão das decisões e julgamentos. 

Os vieses cognitivos podem ser causados ​​por uma série de coisas diferentes, como heurísticas (atalhos mentais), pressões sociais e emoções.

Aqui no caso da lei da trivialidade, este viés é causado por heurísticas, visto que, na maioria das vezes, assuntos sem tanta importância são mais fáceis de serem abordados do que temas importantes e complexos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o viés da trivialidade?

A melhor forma de entender como funciona a lei da trivialidade é com um exemplo.

Quem nunca presenciou uma reunião para definir a execução de um projeto importante mas que acabou sendo infrutífera, pois a maior parte do tempo foi gasto com questões que não interessavam naquele momento?

Por exemplo, um comitê executivo de uma empresa multinacional pode gastar mais tempo falando de futebol na reunião do que sobre os aspectos específicos da implantação de uma nova tecnologia na companhia.

Existem várias formulações diferentes para a verificação do conceito da lei da trivialidade, como:

  • As organizações dão peso desproporcional a questões triviais.
  • O tempo gasto em qualquer item da agenda será na proporção inversa da soma de dinheiro envolvida.
  • A quantidade de ruído gerado por uma mudança é inversamente proporcional à complexidade da mudança.

Por que as pessoas dão mais atenção às trivialidades?

Existem várias razões pelas quais as pessoas tendem a se concentrar em questões triviais, negligenciando as mais importantes. 

Abaixo, elencamos alguns dos principais motivos para a lei da trivialidade:

  • Toda questão trivial representa um problema que é mais fácil de entender e formular uma opinião.
  • Geralmente, um problema trivial requer menos tempo, esforço ou dinheiro para ser resolvido.
  • Temas complexos e importantes costumam exigir um esforço e responsabilidade maior por parte dos tomadores de decisão do que as trivialidades.
  • Às vezes se assume que há pessoas responsáveis ​​e qualificadas tomando conta de assuntos importantes, de modo que não possa não ser desejável gastar tempo e energia com isso.

Como evitar o viés da trivialidade?

A primeira coisa que devemos fazer para evitar ser conduzidos para as trivialidades é pensar que esse mesmo comportamento afeta outras pessoas.

Ou seja, enquanto estamos relutando em lidar com matérias importantes, muito provavelmente o mesmo está ocorrendo com outras pessoas.

Dessa forma, se nenhuma das partes estão empenhadas em fugir de temas triviais, então acabará que os objetivos ou missões que devem ser cumpridos poderão não serem realizados.

Isso, por sua vez, impactará consideravelmente a eficiência de um grupo para a resolução de problemas importantes.

Dessa forma, é fundamental ter em mente os efeitos que o viés da trivialidade pode causar, pois se as questões de importância primária não forem discutidas, com certeza haverá consequências graves.

Outra forma de burlar a lei da trivialidade é colocando recompensas ou estabelecendo objetivos específicos para o grupo.

Com isso, caso a lei da trivialidade ocorra, o conforto que se tem no trato de assuntos fáceis serão contrastados com uma punição ou desagrado com a perda dos ganhos que se poderiam ter se dedicassem mais aos problemas principais.

Em outras palavras, instituir um regime de punições e recompensas que esteja associado ao tamanho das questões a serem resolvidas pode induzir a esforços compatíveis com a importância de cada tipo de situação.