O que é Tempestade Perfeita?

A expressão Tempestade Perfeita é utilizada para descrever uma situação normalmente já considerada não favorável que é agravada por uma série de ocorrências raras. Assim a situação piora, se transformando em um desastre.

O termo que faz analogia a situações negativas, como os fenômenos meteorológicos de grandes magnitudes, em geral com consequências catastróficas, nada mais é do que uma analogia para casos:

  • Sociológicos;
  • Econômicos;
  • Financeiros;
  • Políticos;
  • Digitais;
  • Etc.

Além das próprias situações meteorológicas a que faz analogia. Um exemplo de Tempestade Perfeita pode ser visto facilmente dentro de organizações, no que tange sua cibersegurança.

Dentro do ambiente digital, diversas são as vulnerabilidades existentes e que são negligenciadas pelas empresas. Falta de segregação nas redes, sistemas operacionais desatualizados e inexistência de políticas de segurança. 

Tais situações já são desfavoráveis, em caso de uma invasão de hackers ou contaminação por vírus e spams o evento pode piorar. Com senhas e informações confidenciais, por exemplo, sendo roubadas.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Surgiu o Conceito de Tempestade Perfeita?

Do inglês Perfect Storm, Tempestade Perfeita é a tradução literal da expressão que possui seus primeiros registros datados durante o século 18. Originalmente, referindo-se a algo “completo” ou “absoluto”.

O termo, que é bastante popularizado, aparece inclusive na obra “Vanity Fair'', de William Makepeace Thackeray. Apesar da analogia aos eventos meteorológicos, sua primeira menção encontrada acerca do assunto foi em 1936. 

Mas, o uso que de fato o tornou popular foi sua menção no título da obra de Sebastian Junger, chamada "The Perfect Storm" de 1997. 

Em seu livro, Junger descreve os fenômenos que em conjunto produziram a "situação perfeita" para que a tempestade do Halloween de 1991, nos Estados Unidos e no Canadá, ocorresse.

A Tempestade Perfeita pode ser analisada ainda no Brasil, através da crise de 2014. Um período já desfavorável que foi agravado por inúmeras situações problemas políticos e financeiros, externos e internos.

Em suma, o termo pode ser considerado um equivalente para a expressão "pior cenário do caso", ou em inglês "worst-case scenario". 

Qual a Relação Entre a Tempestade Perfeita e os Investimentos?

O conceito de Tempestade Perfeita está ligado também ao mercado financeiro, descrevendo situações diversas que na maioria dos casos pode acarretar em:

  • Queda na rentabilidade dos investimentos;
  • Grandes oscilações nos preços de ações;
  • Prejuízos financeiros;
  • E muito mais.

Não é fácil descrever de forma única como essa expressão se enquadra no campo das finanças, afinal pode ser vista em diversas situações. Por exemplo, naquelas relacionadas à economia de um país.

Ou até mesmo em menor escala, quando olhamos a trajetória de um investidor que fez uma sequência de escolhas desfavoráveis à construção e multiplicação de seu patrimônio.

Mas, vamos tirar o Brasil como exemplo analisando características internas que podem ser consideradas propícias para ocorrência de uma Tempestade Perfeita:

Seja no país ou fora dele, desde o ano de 2020 devido a falta de controle da pandemia, o Brasil vem enfrentando diversos dilemas e problemas econômicos. 

Isso gerou um desestímulo quando o assunto é investir no país, fazendo com que ocorresse uma contração de 62% na atração de investidores.  

No início de 2021, somou-se a todos esses aspectos, a greve dos caminhoneiros. Se os fatores anteriores já faziam alusão a tal analogia, agora o cenário piorava em determinados setores.

Mercados como o de commodities são afetados por esse tipo de cenário, já que uma paralisação inviabiliza a distribuição de insumos diversos no país. Em consequência, afetando os rendimentos dos investidores desse mercado.

Ou seja, a Tempestade Perfeita dentro do mercado financeiro é caracterizada como um fenômeno que promove, na maioria dos casos, quedas. Assim, tornando um setor ou economia não atrativos a investimentos.