A Ser Educacional (SEER3) encerrou o terceiro trimestre de 2021 com lucro líquido ajustado de R$ 7,455 milhões, revertendo prejuízo de R$ 1,301 milhões apurado em igual intervalo do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e Amortização) ajustado somou 67,956 milhões entre julho e setembro, com avanço de 24% ante igual etapa de 2020.

Sem ajuste, o Ebitda foi de R$ 79,036 milhões, avanço de 47,7% ante um ano. A receita líquida da companhia foi de R$ 324,083 milhões no terceiro trimestre, uma alta de 20,3% na mesma base de comparação.

O resultado financeiro ficou negativo em R$ 37,373 milhões no terceiro trimestre, ante resultado negativo de R$ 32,768 milhões de um ano antes.

No trimestre, a captação total de matrículas de ensino superior atingiu 53,1 mil alunos, crescimento de 29,4% na comparação ante um ano.

A captação de graduação híbrida (presencial) totalizou 24,1 mil alunos (+31,9%) e a digital 25,2 mil (+32,1%).

A base total de alunos alcançou 240 mil, com crescimento de 31,9% na comparação com o igual trimestre de 2020, em função principalmente do crescimento orgânico da base de alunos do ensino digital que atingiu 103,5 mil alunos, crescendo 102,7% no período, melhoria das taxas de rematrícula e das aquisições da Unifacimed, Unijuazeiro, Unesc, Unifasb e do CDMV.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Em seu release de resultados, a empresa destaca que os resultados marcam o início de um importante ciclo de retomada de crescimento da Ser Educacional, combinando melhoria do desempenho operacional e financeiro.

"Esses resultados foram fortalecidos por uma temporada sólida de captação e rematrícula de alunos, tanto nos segmentos de ensino híbrido quanto digital, com desempenho superior inclusive ao ano de 2019 (pré-pandemia), e foram ainda impulsionados pelas aquisições recentes da Unifacimed, Unesc e Unifasb, 100% consolidadas pela primeira vez nos resultados desse trimestre”.

Fonte: Estadão Conteúdo.