A Raízen (RAIZ4) investirá aproximadamente R$ 150 milhões para a construção de uma nova unidade de geração de eletricidade a partir de bagaço de cana-de-açúcar, aumentando a sua capacidade de produção em 105.000 MWh/ano.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O anúncio foi feito após a companhia ter sido uma das vendedoras no leilão A-5, no dia 30 de setembro, no qual a fonte de biomassa a partir de cana liderou as ofertas.

Como consequência, a Raízen Energia firmará determinados contratos de comercialização de energia em ambiente regulado pelo preço mínimo de R$ 273/Mwh.

"Essa operação reforça o compromisso da Raízen em disponibilizar aos seus clientes, produtos e soluções que permitam a redução das emissões de gases do efeito estufa, através do aumento da eficiência e da circularidade de seus processos, apoiando a descarbonização da matriz energética global", disse a empresa em comunicado.

Recentemente, a Raízen comunicou que fechou sua primeira venda de longo prazo para a comercialização de gás natural renovável (biometano) com a Yara Brasil Fertilizantes, um dos maiores consumidores de gás natural no Brasil.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

O contrato tem prazo de cinco anos com um volume de 20.000 m?/dia.

O fornecimento do biometano, segundo a companhia, se dará por meio do portfólio da Raízen, com os resíduos do processo de produção de etanol, vinhaça e torta de filtro, nos parques de bioenergia do grupo.

A Yara por sua vez utilizará o gás para a produção de hidrogênio e amônia verde em seus parques industriais.

Fonte: Estadão Conteúdo.