O que é Quase moeda

Quase moeda é um conjunto de ativos não monetários, pertencentes ao sistema financeiro e que apresenta alta liquidez, sendo constituída principalmente por débitos das instituições financeiras.

Além dos débitos, Quase moeda também constitui-se por determinados compromissos dessas instituições financeiras ou por ativos emitidos pelo poder público.

Quase moeda influencia a procura de serviços e bens similarmente como as outras moedas também influenciam.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Tipos de Quase moeda 

Quase moeda, então, é um conjunto de ativos com alta liquidez, que podem ser facilmente convertidos em dinheiro e que rendem juros.

Alguns exemplos de Quase moeda são os títulos públicos emitidos pelo Banco Central, como títulos da dívida pública (Tesouro Direto), cadernetas e depósitos de poupança, e depósitos a prazo.

Também são considerados Quase moeda alguns tipos de títulos privados, como a Letra de Câmbio e letras imobiliárias como a Letra Imobiliária Garantida.

Há algumas categorias de formas de pagamento que incluem as Quase moeda e, dependendo de como estão arranjadas,  diferenciam os meios de pagamento. São elas:

  • M1;
  • M2;
  • M3;
  • M4.

A categoria M1 engloba o papel-moeda (dinheiro em espécie) que pertence ao poder público e os depósitos à vista, também chamados de moeda escritural.

Os depósitos à vista são a forma mais usada como meio de pagamento em todo o mundo e sua liquidez é considerada como total ou plena.

A M1 não é categorizada como Quase moeda, pois é um tipo de pagamento que envolve outras formas de moeda, sendo a moeda manual (papel-moeda) e a moeda escritural.

Já a categoria M2 é uma combinação entre a M1, os títulos públicos e os fundos do mercado monetário (voltado para a negociação de ações a curto prazo).

A categoria M3 é composta pelas categorias de moeda englobadas na M2, além de depósitos de poupança.

Por fim, a categoria M4 se constitui pelo conjunto de moedas da M3, além de incluir os títulos privados, como a Letra de Câmbio e as letras imobiliárias.

Dentro dessa classificação, pode-se, ainda, dividir as categorias de moedas, em geral, em dois tipos de ativos: os monetários e os não monetários.

Os ativos monetários são aqueles que não rendem juros e, como exemplo, temos o dinheiro em espécie (papel-moeda) e os depósitos bancários.

Já os ativos não monetários são aqueles que rendem juros, e que englobam os certificados de depósitos bancários, cadernetas de poupança, títulos públicos, Letra de Câmbio e letras imobiliárias.

Vantagens de Quase moeda 

Quase moeda traz algumas vantagens que podem ser destacadas. Entre elas, temos:

  • Alta liquidez;
  • Baixo risco;
  • Facilidade para conversão em dinheiro;
  • Auxílio na economia.

Primeiramente, os ativos pertencentes à categoria de Quase moeda possuem uma alta liquidez e um baixo risco. Isso é positivo, pois costuma acompanhar as taxas de juro básica do país.

Assim, é possível realizar investimentos em títulos públicos, por exemplo, realizando as negociações com uma alta liquidez e com uma certa facilidade e propensão à rentabilidade.

Também, Quase moeda se caracteriza como o rendimento em relação aos investimentos, existindo uma reserva que possa ser convertido em dinheiro facilmente, por se caracterizar como ativo não monetário.

Ainda, Quase moeda também traz uma vantagem por auxiliar na economia, especialmente devido à alta liquidez de seus ativos.

Quando adquire-se Quase moeda de títulos do governo ou do setor privado, tem-se que o investimento retornará tanto para o governo quanto para as instituições financeiras.

Desse modo, estes investimentos em Quase moeda caracterizam-se como um empréstimo ao poder público ou à instituição privada, sob uma taxa de juros estabelecida por cada ativo.

Assim, pode ser muito vantajoso, tanto para o governo quanto para as instituições financeiras privadas, que a aquisição de Quase moeda pelos investidores seja incentivada.