A regra 50/30/20 ajuda a organizar as finanças e seus índices podem seguir como parâmetro, mas ela não deve ser levada tão a sério. 

No método 50/30/20, sua renda mensal é dividida em três grupos principais: necessidades, desejos e economias. Sendo:

  • 50% para gastos fixos e essenciais;
  • 30% para gastos variáveis;
  • 20% para prioridades financeiras.

Embora essa estratégia possa ajudá-lo a criar um orçamento melhor e a alocar seu dinheiro com sabedoria, as finanças de cada pessoa são diferentes.

Conforme as prioridades mudam, é preciso ajustar esses números para atender às suas necessidades e a sua realidade.

A regra pode funcionar muito bem para quem ganha um bom salário ou para quem tem muito dinheiro reservado.

Já para quem ganha pouco, economizar e investir 20% pode ser mais difícil.

Além disso, é bem provável que suas necessidades essenciais sejam superiores a 50%.

O primeiro passo é realizar um bom planejamento financeiro. Depois, veja quanto está gastando com cada um desses grupos.

Continue a leitura e saiba o que é a regra 50/30/20 e como fazer com que ela funcione para você.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

50% da renda para as necessidades

O que a regra diz: A regra 50/30/20 diz que seus custos essenciais como custos com moradia, contas de consumo, alimentação, transporte, saúde e qualquer conta mensal regular que considere essencial não deve corresponder mais do que metade de sua renda.

Essa conta estava difícil de fechar até mesmo antes da pandemia.

De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2017-2018 realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 72% do orçamento dos brasileiros está comprometido com despesas de moradia, transporte e alimentação.

O Sudeste é a região onde as pessoas gastam mais com habitação.

Também aumentou a destinação de recursos para assistência à saúde (8,0%) e educação (4,7%).

O que fazer: Se seus custos fixos consumirem mais de 50% de sua receita, tente negociar as contas de telefone, internet, cancelar assinaturas e demais atitudes para reduzir os gastos.

Este pode ser um bom momento para se perguntar se o seu estilo de vida atual é o certo para permitir que você tenha uma posição financeira sólida no futuro.

Quando você está em estados com alto custo de vida, economizar 20% pode ser difícil. 

Por isso, poderá ter que escolher entre pagar um aluguel caro agora e trabalhar mais tarde ou morar em uma casa menor, reduzir as despesas e ter a chance de se aposentar mais cedo.

20% da renda para investimentos

O que a regra diz: Pela regra 50/30/20 e para a maioria dos educadores financeiros, 20% da sua renda mensal deveria ser destinada para seus investimentos.

Aqui estão incluídos a reserva de emergência, planos de aposentadoria, além de outros investimentos como ações e títulos.

O que fazer: Pagar a si mesmo primeiro é uma regra importante. Ou seja, assim que você receber seu dinheiro, uma parte deve ser destinada para seus investimentos.

Com o que sobra você paga as contas fixas e gasta com despesas pessoais variáveis.

O primeiro passo é construir uma reserva de emergência que cubra 6 meses de despesas de subsistência.

Em seguida, destine parte do dinheiro para sua aposentadoria e para outros objetivos financeiros.

Embora a regra diga que 20% é a quantia ideal para destinar aos seus investimentos, isso pode ser uma quantia muito alta para quem ainda não se organizou financeiramente.

Se ainda não consegue destinar 20% da sua renda, inicie com o que consegue, nem que seja 10%, 5% ou mesmo 2%. O mais importante é começar.

Com o tempo, depois que seu orçamento estiver em ordem, aumente essa porcentagem gradativamente. Quanto mais, melhor.

30% da renda gastos variáveis pessoais

O que a regra diz: Depois de pagar pelo essencial e economizar dinheiro para o futuro, é importante cuidar de si mesmo.

Por isso, a regra diz que a última parte de seus ganhos, cerca de 30% pode ser gasta em qualquer coisa não essencial. 

Isso significa pagar por streaming, jantar fora, viagens, carro novo e demais coisas destinadas a diversão e experiências. 

O que fazer: Embora 30% seja uma porcentagem em que a maioria das pessoas encontrará o maior valor, a quantia destinada vai depender de cada pessoa e de como está suas finanças.

Quem está endividado ou com o orçamento muito apertado, será preciso gastar menos até que esteja de bem com as finanças.

Porém, é nessa parte que muitos erram, excedem seu limite e contraem dívidas.

Lembre-se que alguns sacrifícios são necessários para ficar rico.

Pensar somente na porcentagem de 30% para gastos com diversão pode fazer com que comprometa seu orçamento atual e seu futuro. 

Uma vez que se exceder os gastos aqui, inevitavelmente diminuirá a quantia destinada para seus investimentos.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Tenha um plano que funcione para você

Independentemente de como você decompõe os números, ter um plano para o seu dinheiro é útil. 

Usar a regra 50/30/20 pode fornecer alguma estrutura e organização, mesmo que você não a siga exatamente.

Dependendo do seu momento de vida e situação financeira, pode ser que decida priorizar uma das áreas.

A chave para o sucesso de um planejamento financeiro é ser flexível.

Alinhe suas despesas com seus objetivos, mas não esqueça da importância de cada grupo, especialmente os investimentos.

Independente de como irá distribuir as porcentagens de gastos, tente destinar o máximo possível para investir. É isso que irá te trará uma vida financeiramente mais tranquila no futuro.

Se você ainda não começou ou deseja aprimorar seus investimentos, baixe gratuitamente o livro digital "Como Investir Começando do Zero" e inicie sua jornada para a independência financeira.