O que é M&A - Merger and Acquisitions

M&A - Merger and Acquisitions é o termo utilizado para se referir às operações de compra de propriedade de empresas, que pode ocorrer de duas formas diferentes: através da Fusão ou Aquisição.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

M&A é justamente a sigla para Merger and Acquisitions, que significa Fusões e Aquisições. Por isso, no português esse termo é conhecido como F&A.  

O processo de compra pode fornecer à empresa um crescimento muito grande em sua atuação, aumentando o valor de suas ações, ou até mesmo gerar mudanças em sua posição competitiva no mercado ou na natureza dos negócios oferecidos.

Por isso, as fusões e as aquisições são almejadas por grandes empresas, mas devem sempre estar atreladas às estratégias de mercado adotadas pelas mesmas.

Por apresentarem um valor de investimento alto, antes de serem realizadas uma Fusão ou Aquisição é sempre necessário ponderar diversas questões acerca do investimento, como o retorno que a aquisição trará para a empresa. 

Apesar de parecerem idênticos, existe uma diferença entre os conceitos de Fusão e Aquisição. A seguir serão apresentados os significados de cada um.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

M&A e Fusões

De acordo com a Lei nº6.404, de 15 de dezembro de 1976, Fusão é uma operação na qual se unem duas ou mais sociedades para formar uma nova. Esta sucederá as duas anteriores em todos os direitos e obrigações pendentes. 

Portanto, as Mergers (ou Fusões) podem ser classificadas como a combinação de duas empresas ou mais, responsáveis por unir forças para se tornarem um novo negócio

Existem alguns tipos principais de Mergers. Eles são: 

  • Fusões Horizontais: fusão de duas empresas que são concorrentes diretas, ou seja, apresentam as mesmas linhas de produtos e mesmo mercado; 
  • Fusões Verticais: fusão entre empresas que possuem relações complementares no processo produtivo, ou seja, são fornecedores e clientes;
  • Fusões Congenéricas: fusão entre empresas que possuem produtos ou serviços que não são os mesmos, mas atendem o mesmo grupo de consumidores. Podem ser concorrentes (diretas ou indiretas) ou não; 
  • Fusões de extensão de mercado: fusão entre empresas que vendem a mesma linha de produtos ou serviços, mas são voltadas para mercados diferentes; 
  • Fusões de extensão de produto: fusão entre empresas que vendem linhas de produtos ou serviços diferentes, mas para o mesmo mercado.

Além destes tipos, existem também Conglomerados, Fusões por Compra e por Consolidação

A nomenclatura atribuída varia de acordo com a função econômica, finalidade da transação e com o relacionamento entre as empresas em questão.

M&A e Aquisições

Já se tratando das Aquisições, ou Acquisitions, temos um diferente cenário: elas ocorrem quando uma empresa compra todo o controle acionário de outra. 

Ou seja, as Aquisições não são ajuntamentos de empresas, mas sim a aquisição completa de uma empresa, de modo a se tornar dona da companhia que está sendo comprada. 

Elas normalmente acontecem com o objetivo de garantir um crescimento saudável e constante para empresas sem que seja necessário expandir por conta própria

Ao adquirir outra empresa, a companhia obtém também todos os processos operacionais pré-definidos, bem como mercado, produtos e serviços. Isso é muito vantajoso, pois oferece eficiência e praticidade ao negócio.

Exemplos de M&A

Um exemplo recente foi a aquisição da Avon pela Natura, ocorrida em 2019. A partir dessa Aquisição, a Natura se tornou a quarta maior empresa de cosméticos do mundo. 

Outro grande exemplo foi a aquisição da 21st Century Fox por parte da Disney, em 2017, que expandiu ainda mais o domínio da empresa no setor de entretenimento

De modo geral, as consequências de uma aquisição estão mais ligadas à bolsa de valores do que ao operacional das empresas. 

Isso porque não necessariamente a marca da empresa adquirida precisa deixar de existir, ela pode continuar atuando com seu mesmo mercado. A diferença está ligada à negociação das ações da empresa vendida, que deixam de existir e passam a incorporar as ações da empresa compradora.