O que é Junk Bond

Junk Bond são títulos de renda fixa de alto risco no mercado financeiro. Esses ativos, também conhecidos no Brasil como “Títulos Podres”, oferecem alto rendimento como forma de compensar a elevada volatilidade que apresentam.

Os emissores de títulos de alto risco, no geral, são empresas que estão iniciando, endividadas, ou até mesmo falindo, e procuram se financiar por meio da geração desses papéis. 

O risco ao comprar Junk Bond consiste justamente na alta probabilidade de inadimplência, uma vez que o emissor do título talvez não consiga pagar os investidores. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Características de Junk Bond

Como um ativo que representa risco, são poucos os interessados em comprar esses papéis. Nesse sentido, esses títulos possuem uma baixa liquidez, na medida em que a procura no mercado é muito pequena.

Outra característica já mencionada é o risco de crédito, por conta da alta possibilidade de inadimplência. Vale apontar que as empresas que emitem Junk Bond, no geral, possuem baixa credibilidade.

Assim, os Junk Bond são classificados como grau especulativo, com baixa classificação de crédito. Isso significa que o emissor provavelmente não cumprirá com as suas obrigações de pagamento.

Por ser um título de alto risco, os Junk Bond oferecem uma alta rentabilidade em relação aos outros títulos de renda fixa. Os emissores compensam o risco pagando juros maiores como forma de atrair mais investidores. 

Quem investe em Junk Bond

Alguns investidores, chamados Fundos Abutres, gostam de investir principalmente em ativos desvalorizados e apostam nos Junk Bond.

Eles aproveitam para investir nas empresas em situação de falência e sem chance de recuperação, já que o preço é ainda menor do que outros títulos de alto rendimento.

Por serem especialistas, costumam cobrar as dívidas vigorosamente e, se necessário, buscam o amparo da Justiça para recuperar o dinheiro.

Para os investidores que não são especialistas em Junk Bond, vale a pena descobrir qual perfil de investidor mais se encaixa com a personalidade de cada um.

Assim, torna-se possível alinhar o perfil com os tipos de investimentos mais apropriados ao seu planejamento financeiro pessoal e descobrir se vale a pena arriscar na compra de Junk Bond.

Junk Bond como indicador econômico

Junk Bond são indicadores econômicos, na medida em que a situação econômica do país pode ser lida através da relação de oferta e demanda de Junk Bond.

Por ser um título de alto risco, os Junk Bond podem sinalizar, antecipadamente, mudanças no ciclo econômico, já que a economia tem que estar favorável para que os investidores estejam dispostos ao risco.

Dessa forma, quando o volume de compra de Junk Bond diminui e os investidores começam a se desfazer desses títulos, significa que o cenário econômico não é promissor.

Por outro lado, quando há um aumento do investimento nesse tipo de ativo, a tendência é que o cenário econômico esteja positivo.

Vantagens do Junk Bond

De modo a compensar os riscos, as empresas pagam juros acima da média, ocasionando em uma alta rentabilidade. Então, se der certo, o risco é compensado pelo lucro elevado.

Além disso, caso a empresa que emitiu o título progrida na avaliação das agências de classificação, o investimento é valorizado e torna-se mais rentável.

Vale apontar, também, a possibilidade de diversificar a carteira, já que há baixa correlação com outros setores do mercado de renda fixa.

Desvantagens do Junk Bond

Como já mencionado, o risco de crédito é grande pela alta possibilidade de inadimplência.

Nesse sentido, há uma baixa liquidez. Ou seja, revender ou negociar é um pouco mais difícil, já que boa parte dos investidores se mantém afastado desse tipo de investimento.

A empresa emissora, da mesma maneira que pode melhorar, há uma chance de sua situação financeira se agravar e as agências de classificação de risco rebaixá-la rapidamente.

Dessa forma, a empresa não conseguirá pagar seus credores e o valor dos seus papéis reduzirá ainda mais.