O que é Grupamento

Grupamento de ações é um procedimento realizado por empresas da bolsa de valores que utilizam para diminuir seus números de ações e aumentar seus valores. Também pode ser chamado de inplit.

O grupamento é realizado com o objetivo de ajuste do valor nominal das ações de uma determinada empresa.

Em alguns momentos, a desvalorização de ações a menos de 1 real, obriga empresas a condensar seu capital, diminuindo suas cotas. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o grupamento 

Empresas listadas na bolsa de valores recebem uma notificação da B3, bolsa de valores Brasileira, recomendando fortemente a realização do grupamento de ações, caso não seja cumprida podem receber multas e até mesmo suspensão de negociação na bolsa. 

Se o conselho administrativo da empresa assim decidir realizar o procedimento, é enviado um comunicado aos acionistas informando as mudanças e dando alguns detalhes sobre o processo. 

As ações negociadas abaixo de R$1 possuem spread (diferença entre valor do preço de venda e compra) muito alto.  

O grupamento pode ser feito da seguinte maneira: 

Um investidor R possui 100 ações da empresa S, cada uma a R$0,80, se a empresa realizar um grupamento das ações em 1 para 4, o investidor passará a ter 25 ações cada uma valendo R$3,20. 

Dessa forma, as empresas mantêm sob controle a volatilidade das ações, diminuindo riscos, aumentando a liquidez e tornando-as mais atrativas. 

Entretanto, o grupamento não é uma garantia de valorização das ações, pois esses são influenciáveis por demais fatores, como por exemplo a expectativa de mercado, a percepção de valor da empresa pelos investidores e entre outros.

Vantagens do grupamento 

As principais vantagens do grupamento de ações estão ligadas ao fato do aumento do valor patrimonial da empresa e o valor de negociação das ações. 

Além de vantagens no controle da volatilidade momentânea, conforme já citado. 

Algumas empresas que já passaram por esse procedimento recentemente como por exemplo: 

  • HBOR3 – Helbor
  • RSID3 – Rossi Residencial
  • GFSA3 - Gafisa
  • TESA3 – Terra Santa Agro

A maior parte delas hoje ainda sofrem com a volatilidade das ações, porém pertencem aos setores de construção civil e agronegócio que foram setores da economia brasileira muito afetados nos últimos anos.

Diferença entre Grupamento e Desagrupamento de ações

Conforme já citado, o grupamento é utilizado em caso de desvalorização das ações, com o objetivo de aumentar o valor unitário das ações e torná-las mais atrativas. 

No Desagrupamento das ações, também chamado de desdobramento ou split, a situação é inversa, em geral, as ações estão com altos valores o que torna mais difícil a negociação e aumenta o risco de investimento. 

Nesses casos, não tem como colocar mais ações à venda, então as empresas dividem as ações que já estão no mercado, desdobrando-as e consequentemente reduzindo a cotação dos ativos.

Por exemplo: Um investidor DG possui 100 ações em sua carteira da empresa TH no valor de R$40,00 cada. 

Se a empresa TH entender que os preços das suas ações estão elevados, pode haver o desagrupamento 1 para 2. Dessa forma, o investidor DH terá 200 ações a R$20,00 cada.

Esse procedimento aconteceu nas ações da Magazine Luiza (MGLU3) em 2019, quando cada ação chegou a custar cerca de R$277 e com o desagrupamento de 1 para 8, cada ação passou a custar próximo de R$36.

No desagrupamento as ações se tornam mais acessíveis aos investidores permitindo mais negociações. E assim como no grupamento, não é possível determinar se a volatilidade estará sob controle, uma vez que há fatores externos.

Para os investidores quando o procedimento de grupamento ou desgrupamento ocorre, podem indicar um momento de atenção para acompanhamento do mercado, observando os riscos e a volatilidade das ações.