O que é Fordismo?

Fordismo é um termo amplamente usado para descrever o sistema de produção em massa que foi pioneiro no início do século XX pela Ford Motor Company.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Esse sistema foi utilizado em indústrias do mundo todo no século 20, principalmente entre as décadas de 1920 e 1970.

O Fordismo é, por vezes, também associado a um modo típico de crescimento econômico que vigorou a partir do pós-guerra, com sua ordem política e social ligada ao capitalismo avançado.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o fordismo?

A técnica de produção em massa, base do Fordismo, é a fabricação de grandes quantidades de produtos padronizados, geralmente usando  linhas de montagem  ou tecnologia de automação. 

A produção em massa facilita a produção eficiente de um grande número de produtos semelhantes.

Esse modo de produção também é conhecido como produção em fluxo, produção em fluxo repetitivo, produção em série ou produção em série.

No Fordismo, a mecanização é usada para alcançar alto volume, organização detalhada do fluxo de material, controle cuidadoso dos padrões de qualidade e divisão do trabalho. 

Um dos primeiros exemplos da demanda por produtos padronizados em grandes quantidades veio de organizações militares e sua necessidade de uniformes e outros suprimentos. 

Os equipamentos de usinagem de precisão levaram a uma demanda em grande escala por produtos produzidos em massa, criados de forma barata com pequenas forças de trabalho.

Uma das principais mudanças proporcionadas pelo Fordismo foi a implementação da linha de montagem automatizada.

Ford implementou um sistema de esteiras rolantes nas suas fábricas, em que os veículos eram direcionados para os trabalhadores, que ficavam parados e montavam as partes de acordo com a rolagem do processo.

O processo tornou-se mais organizado, com um início, meio e fim, de modo que cada funcionário tinha uma posição bem definida.

Com isso, os trabalhadores foram se especializando cada vez mais em realizar as atividades para as quais eram designados, sem conhecer o processo de forma integrada, como um todo. 

O objetivo a ser realizado com esse sistema era justamente o ganho de um ritmo mais acelerado de trabalho.

Vantagens do Fordismo

O Fordismo e seu sistema de produção em massa tem muitas vantagens, sendo um dos símbolos da Segunda Revolução Industrial.

Esse sistema contribuiu fortemente para o crescimento das empresas e o aumento das vendas a partir do consumo de massa nos anos que se passaram no século XX.

A primeira vantagem é que a produção em massa pode resultar em um alto nível de precisão, uma vez que máquinas da linha de produção têm parâmetros predefinidos. 

A segunda vantagem é que a produção em massa pode resultar em custos mais baixos, porque o processo de produção da linha de montagem automatizada requer menos trabalhadores.

Por fim, o processo de automação da produção em massa permite a produção ser realizada em um ritmo mais rápido, gerando níveis mais altos de eficiência.

A montagem rápida auxilia na pronta distribuição e comercialização dos produtos de uma organização que, por sua vez, podem criar uma vantagem competitiva e lucros maiores para a empresa. 

O tempo reduzido de fabricação de peças e na montagem permitiu que a Ford reduzisse drasticamente o tempo necessário para construir o automóvel Modelo T.

Como resultado da produção em massa, os carros da Ford se tornaram mais baratos e acessíveis ao grande público.

Isso possibilitou a empresa expandir seu mercado para novas classes, tornando o carro um item popular, em vez de um artigo de luxo ao qual apenas um número limitado de pessoas tinha acesso.

Desvantagens do Fordismo

No entanto, nem tudo no Fordismo foi positivo, o que dificultou a reprodução do seu sistema para outros setores. 

O primeiro empecilho do Fordismo é o de que estabelecer uma linha de montagem automatizada exige muito capital e requer um investimento inicial significativo de tempo e recursos. 

Se houver um erro no projeto de produção, um grande investimento de tempo e dinheiro pode ser necessário para reprojetar e reconstruir os processos de produção em massa. 

Outra desvantagem do Fordismo consiste no fato de esse modelo degradar as condições de trabalho, tornando-o desgastante, repetitivo e maçante para os funcionários. 

Esse ponto inclusive foi alvo de muitas críticas, sendo a mais destacada feita pelo ator e diretor Charles Chaplin, em um de seus filmes mais famosos, “Tempos Modernos”.

Embora uma vantagem do Fordismo seja a possibilidade de reduzir os custos de mão de obra, os funcionários que permanecem em uma linha de montagem podem perder a motivação porque suas tarefas são repetitivas. 

Dessa forma, o tédio causado pelo trabalho repetitivo pode levar ao baixo moral dos funcionários e aumentar os níveis de rotatividade.