O que é o Efeito Renda?

Este efeito refere-se à variação do consumo que ocorre quando a variação do preço move o consumidor para uma curva de indiferença, seja ela mais elevada ou menos elevada.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Portanto, o efeito renda, nada mais é do que o impacto no consumo do indivíduo causado pela alteração no poder de compra das pessoas, que pode ocorrer pela oscilação dos preços, por exemplo.

A alta nos preços (inflação) altera diretamente o poder de compra dos consumidores, uma vez que, mesmo sem diminuir seus salários, a inflação diminuirá o poder de compra dos indivíduos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Da mesma maneira, quando ocorre uma queda geral do nível dos preços, mesmo os salários se mantendo intactos, os indivíduos terão um ganho no poder de compra, podendo elevar o consumo.

Devemos dizer que as alterações no consumo causadas pelo efeito renda, não ocorre apenas pela alta ou baixa do nível dos preços.

Outros exemplos que alteram a renda das pessoas podem ser caracterizados pela: alteração do salário; variação na taxa de câmbio; alteração nos impostos; dentre outros.

Devemos dizer que a alteração do consumo em decorrência da alteração da renda real por meio da oscilação dos preços, se dá quando as outras variáveis permanecem constantes.

Veremos na sequência que o efeito renda pode se comportar de diferentes maneiras, a depender do tipo de bem envolvido.

O Efeito Renda com diferentes tipos de bens

Para diferenciarmos a relação do efeito renda de acordo com diferentes bens, devemos separar esses em dois tipos: bens normais e bens inferiores.

Começaremos nossa análise com os bens normais.

A demanda para os bens normais é diretamente proporcional à renda, ou seja, conforme a renda aumenta e, assim, também a capacidade de compra, o consumo desses bens irá subir.

Portanto, para um bem normal, podemos dizer que o efeito renda é positivo, sendo que o aumento de renda causa o aumento do consumo.

Por outro lado, quando a renda diminui, o consumo também tende a diminuir.

Já, com relação aos bens inferiores, estes têm sua demanda inversamente proporcional à renda dos consumidores.

Podemos dizer que estes se caracterizam a bens de uma segunda ordem, onde os consumidores só irão consumir devido à falta de acesso por opções melhores.

Portanto, neste caso, se a renda do consumidor diminui, ele se vê na necessidade de aumentar o consumo desses bens.

Por outro lado, se a renda do consumidor aumentar, ele não mais irá consumir esse bem (inferior), optando pela escolha de consumir bens normais ou bens superiores.

Dessa forma, dizemos que o efeito renda, em um bem inferior, é negativo, ou seja, quanto mais renda menos consumo, ou o inverso, quanto menos renda mais consumo.

O Efeito Renda direto e indireto

O efeito direto relaciona-se à mudança no consumo do indivíduo que é afetado pela alteração direta de sua renda como, por exemplo, por meio do aumento ou diminuição do salário.

Por outro lado, o efeito renda indireto, também irá trazer mudanças no poder de compra do indivíduo, porém, agindo indiretamente em sua renda, como por exemplo, em caso de aumento dos preços.

Para melhor compreensão, apresentaremos, abaixo, um exemplo para cada caso.

Imaginemos um trabalhador, que ganha um salário mínimo e, após prestar bons serviços, ele consegue um aumento em sua empresa, passando a ganhar três salários mínimos.

Ora, com o primeiro salário, esse trabalhador não tinha renda suficiente para consumir determinados produtos, como é o caso dos bens normais, e, após conseguir este aumento, passou a consumir mais desses bens.

Esse é um claro exemplo do efeito renda direto.

Agora, imaginemos que este mesmo trabalhador gasta cerca de 80% de seu salário com alimentação e as contas de sua casa.

Imaginemos, agora, que o Governo decida aumentar a carga tributária em alguns produtos que este trabalhador costumava consumir.

Pois bem, com o aumento dos tributos o poder de compra do indivíduo diminui, ou seja, sua renda foi alterada indiretamente.

 Neste caso, temos um exemplo claro do efeito renda indireto, sendo que este trabalhador terá que deixar de consumir algumas coisas que antes faziam parte de sua cesta de consumo.