O que são Contas Patrimoniais?

As contas patrimoniais representam a evolução dos ativos e passivos de uma determinada organização em um período de tempo.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Os ativos dizem respeito aos bens e direitos que uma empresa possui e os passivos são as obrigações que a companhia tem.

A diferença entre os ativos e passivos de uma organização gera o patrimônio líquido, que vem a ser o capital próprio disponível para operação e desenvolvimento do negócio.

Dessa forma, quanto mais ativos - entradas de receita - e menos passivos - gastos - uma empresa tiver, maior será o seu patrimônio líquido e sua solidez.

Por outro lado, uma companhia que apresenta um passivo muito maior do que o ativo, terá patrimônio líquido negativo, o que tem poder para, inclusive, levá-la à falência.  

As contas patrimoniais são demonstradas por meio do Balanço Patrimonial de uma empresa, documento apresentado periodicamente pelas empresas de capital aberto. 

A principal finalidade das contas patrimoniais é organizar a situação da empresa, e por isso, o balanço patrimonial é considerado como um raio x do negócio.

Através dele é possível entender a situação da empresa, seu grau de endividamento, status de caixa, e outras informações significantes para quem vai investir.

Isso ajuda o investidor a tomar uma decisão consciente no momento de adquirir ações de uma determinada companhia na Bolsa de Valores.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Contas Patrimoniais no Balanço Patrimonial

Um balanço patrimonial é constituído por diversas contas patrimoniais. Entretanto, elas são divididas em:

  • Ativos;
  • Passivos;
  • Patrimônio Líquido.

O ativo engloba todos os bens e direitos que uma empresa possui. Em regra é todas aquisições, imóveis, maquinários, caixa, estoques e contas a receber.

No balanço patrimonial os ativos são divididos em circulante (de curto prazo) e não circulante, os ativos de longo prazo.

São considerados ativos de curto prazo,ou circulantes, os de tempo determinado inferior a 12 meses. 

Dessa forma, se uma empresa tem contas para receber em prazo superior a 12 meses, estas serão consideradas ativos não circulantes.

Além disso, ativos como imóveis e maquinários são igualmente considerados não circulantes para fins contábeis.

O passivo de uma organização compreende toda a obrigação de pagamento assumida por ela, incluindo todo o capital de terceiros que financia suas operações.

Assim, o passivo é composto de fornecedores a pagar, salários a realizar, empréstimos que ainda não foram liquidados, etc.

Já o patrimônio líquido, igualmente demonstrado através do balanço patrimonial, é a diferença entre os ativos e passivos que a empresa possui.

Portanto, se uma empresa é capaz de gerar lucro operacional, ela aumentará o seu patrimônio líquido com o tempo, sempre e quando o lucro não seja integralmente distribuído.

Análise de Contas Patrimoniais

Uma das formas comuns de analisar contas patrimoniais é através do cálculo de indicadores. 

Os principais são: 

  • Indicadores de rentabilidade: retorno sobre os ativos,giro de ativos e retorno sobre patrimônio líquido;
  • Indicadores de liquidez: corrente, seca, geral e imediata;
  • Indicadores de endividamento: endividamento geral e grau de endividamento. 

Esse formato é amplamente utilizado no segmento contábil. 

Para o mercado financeiro, a análise das contas patrimoniais em conjunto com as contas de resultado dá origem à chamada análise fundamentalista.

Essa classe de análise é aplicada por especialistas e investidores para avaliar aspectos internos de uma empresa como:

  • Liquidez;
  • Lucratividade;
  • Rentabilidade;
  • Grau de alavancagem;
  • Capacidade de pagamento.

Além desses indicadores diversos outros são colhidos por meio das contas patrimoniais como o giro de estoque e a necessidade de capital de giro.

A análise fundamentalista considera a situação financeira,econômica e de mercado da empresa, tratando de projetar seu comportamento futuro. 

Com ela, o que se procura é mensurar a qualidade e solidez da empresa como investimento. 

De fato, esse é o ponto chave para o investidor, que busca o maior retorno frente ao risco que está disposto a assumir. Para isso, é essencial conhecer seu perfil de investidor e manter-se fiel a ele.