Compatibilidade financeira: Você e sua parceira/o são compatíveis?
SIMULE AGORA
|

Compatibilidade financeira: Você e sua parceira/o são compatíveis?

Quando o casal é compatível financeiramente consegue ir mais longe com suas finanças, alcançando a liberdade financeira juntos.

Por
Atualizado em 15/01/2021

Amor e dinheiro são dois assuntos extremamente complexos. Quando misturados podem criar uma receita para o sucesso ou para o desastre, dependendo da sua compatibilidade financeira.

Um parceiro compatível pode te aproximar de seus objetivos de independência financeira.

Porém, quando não há essa compatibilidade, o resultado pode ser desentendimentos e frustrações.

Quase 60% das pessoas acreditam que a compatibilidade financeira é um dos fatores mais importantes em um relacionamento bem-sucedido;

De acordo com a empresa escocesa de serviços financeiros Scottish Widows.

Como qualquer relacionamento, o amor e dinheiro serão diferentes para cada casal. 

Tudo depende de regras básicas, acordos e estratégias financeiras que você estabelece com seu parceiro. 

A comunicação é a chave para o sucesso financeiro do casal.

Para te ajudar, o site The Balance listou alguns fatores financeiros importantes que você deve ter em mente ao começar a compartilhar sua vida financeira com a de seu parceiro.

Nem todo casal precisa de uma conta conjunta

Especialistas em finanças pessoais ainda discordam sobre o que é melhor para os casais, contas individuais ou conjuntas?

Qualquer que seja a escolha, os objetivos são os mesmos: criar um casamento mais forte e, ao mesmo tempo, ajudar um ao outro a manter a responsabilidade financeira

Alguns acreditam que contas conjuntas criam um senso de unidade que é vital para um relacionamento. 

Por outro lado, contas separadas permitem que cada pessoa mantenha sua independência, o que pode fortalecer o relacionamento.

Infelizmente, não há uma resposta clara para os casais.

A melhor maneira de determinar que tipo de conta é melhor para o seu relacionamento é considerar sua personalidade financeira e a de seu parceiro. 

Se você gerencia ativamente suas finanças, gosta de controlar as decisões de investimento e se orgulha de seu planejamento para aposentadoria, pode ser difícil deixar outra pessoa começar a tomar decisões financeiras.

Já uma parceira com a mesma mentalidade pode melhorar seu processo de tomada de decisão. 

A conclusão final é que só deve ter conta conjunta se os dois tiverem o mesmo tipo de personalidade financeira.

Para saber o seu, faça aqui o teste de compatibilidade financeira.

Não deixe que as estratégias de investimento causem atrito

Se os dois gostam de investir, certifiquem-se de ter um estilo de investimento semelhante antes de abrir uma conta conjunta de corretagem. 

Se um investimento for muito arriscado para uma pessoa, mas ela for forçada a fazer o investimento por meio de uma conta conjunta, isso pode prejudicar o relacionamento. 

Mesmo que o investimento arriscado gere dinheiro, o drama pessoal entre você e sua parceira pode superar os ganhos. 

Isso vale para os dois lados, uma vez que um investidor excessivamente cauteloso também pode frustrar sua parceira de alto risco.

Esta é uma conversa importante para se ter separadamente das conversas mais gerais sobre personalidades financeiras.

Duas pessoas podem se considerar igualmente disciplinadas com dinheiro, mas depois podem descobrir que são totalmente opostas quando se trata de perfil de investimento.

Descubra qual seu perfil nesse teste online.

Em caso de dúvida, faça uma conta conjunta simples

Se você está em dúvida sobre uma conta conjunta, ou se um de vocês está preocupado com gastos impulsivos, uma possível solução é abrir uma conta conjunta simples.

Essa modalidade exige que os titulares concordem com movimentos de dinheiro

Ou seja, para que o dinheiro possa ser sacado ou transferido, é necessária a assinatura de cada correntista.

Essa pode ser uma ferramenta útil para fazer com que os parceiros se comuniquem sobre as despesas e evitem compras desnecessárias.

Ambas as partes devem assumir a responsabilidade financeira

Não importa qual a situação econômica e quanto cada um ganha, ambas as pessoas em um relacionamento devem sentir que desempenham um papel nas finanças. 

Caso contrário, o dinheiro pode começar a parecer uma mesada ou um pagamento entregue de uma parte a outra. 

Não é incomum que uma pessoa no relacionamento assuma mais responsabilidades financeiras, mas ambas devem estar de acordo com o plano.

Como a maioria das questões financeiras, é mais fácil lidar se for abordado com antecedência e discutido abertamente.

Decida como vocês dividirão as contas

Se uma pessoa ganha mais do que a outra, as duas podem considerar uma divisão diferente.

Em vez de dividir tudo em 50-50, um parceiro que ganha 20% a mais pode querer assumir 20% a mais do pagamento das contas. 

Tudo deve ser conversado e acertado bem antes da primeira conta chegar pelo correio. 

Ignore estereótipos de gênero

Nem seria necessário dizer, mas o gênero não determina quem deve ganhar mais dinheiro ou controlar as finanças de um relacionamento. 

Se atribuir as tarefas financeiras a uma única pessoa, a decisão deve se basear em quem é financeiramente mais responsável.

Definir metas

Depois de estabelecer o básico, como a divisão das tarefas, tipo de conta, definam seus objetivos como casal.

Onde quer morar e em quanto tempo espera comprar uma casa lá? 

Até que idade cada um pretende trabalhar? Qual a renda esperada para a aposentadoria?

Não é preciso uma conta conjunta para planejar as férias, e ter uma visão compartilhada e responsável com relação às metas de poupança do casal.

Sinais de incompatibilidade financeira

Infelizmente, nem todo casal é compatível financeiramente. Essa diferença no modo de lidar com o dinheiro, se não for discutida no início do relacionamento, pode levar a desentendimentos constantes.

Por isso, os casais devem fazer um planejamento financeiro e conversar abertamente sobre dinheiro, expondo o que cada um pensa e deseja.

Compatibilidade financeira: Você e sua parceira/o são compatíveis?

De acordo com pesquisa realizada pela Scottish Widows em 2018 com casais ingleses, um em cada cinco britânicos está financeiramente em um relacionamento incompatível.

Conforme a pesquisa, quase um quinto (17%) gostaria de ter discutido as finanças já no início do relacionamento.

Mais de um terço (34%) dos divorciados citaram persistentes preocupações financeiras como motivo para o rompimento.

Veja alguns sinais de que você pode estar em um relacionamento financeiramente incompatível e tente resolver isso o mais rápido possível para o bem do relacionamento e das finanças.

Você gostaria que seu parceiro fosse melhor em economizar

De acordo com pesquisa, 20% das pessoas disseram que gostariam que seu parceiro economizasse mais para o futuro.

Isso pode ser um sinal de prioridades diferentes ou que cada um vê o futuro de maneira diferente um do outro.

Você sente que suas economias foram impactadas pelos gastos de seu parceiro

Não conseguir atingir seus objetivos financeiros pode ser frustrante, especialmente se o motivo for os gastos do parceiro.

Este sentimento é compartilhado por mais de um quarto (27%) das pessoas.

Vocês não têm metas financeiras compartilhadas

A sensação de ter abordagens diferentes às finanças pode facilmente colocar uma barreira entre o casal. 

17% das pessoas sentem que a falta de metas compartilhadas está prejudicando o relacionamento.

Vocês não falam abertamente sobre as finanças

A falta de comunicação e de planejamento compartilhado pode ser a principal razão pela qual tantas pessoas acham que a atitude de seus parceiros em relação às finanças é tão diferente da sua.

A pesquisa revelou que:

  • 11% das pessoas não contam a seus parceiros quanto ganham;
  • 57% das pessoas não sabem quanto seu parceiro tem no banco;
  • 25% das pessoas casadas admitem manter uma parte do dinheiro separado de seus cônjuges.

Como criar um planejamento financeiro do casal

A elaboração de um plano financeiro conjunto é uma etapa importante em qualquer relacionamento. 

O simples ato de falar abertamente sobre dinheiro fortalecerá o vínculo e dará a oportunidade de resolver as diferenças de opinião.

Os passos mais importantes que os casais devem dar quando decidem começar a unir suas vidas financeiras são:

  • Comunique-se com clareza e o mais cedo possível sobre finanças para evitar que pequenas divergências se transformem em brigas;
  • Contas conjuntas são melhores para casais com hábitos e pontos de vista financeiros semelhantes;
  • Certifique-se de que cada pessoa desempenhe um papel nas finanças, embora o tamanho dessa função possa depender do nível de interesse da pessoa;
  • Estabeleça metas financeiras em seu relacionamento e ajude um ao outro a atingir essas metas.
Dicas sobre Liberdade Financeira

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE