O que é classe média?

O termo “classe média” carece de uma definição universal.

Em geral, entende-se como classe média a fatia da população intermediária entre os mais ricos e os mais pobres

Alguns economistas classificam as classes de uma sociedade entre baixa, média e alta a partir da renda recebida pelo indivíduo.

Caso o indivíduo more sozinho, para saber se ele pertence ou não à classe média, basta mensurar a sua renda total.

Já nos casos daqueles que vivem com outras pessoas, constituindo, assim, uma família, é necessário dividir a soma total da renda apropriada pelo grupo e dividir entre todas as pessoas da casa.

Assim, é a partir da renda por pessoa (ou renda per capta), que se tem conhecimento sobre a classe da pessoa (média, alta ou baixa).

Entretanto, há outras vertentes que qualificam de outra forma o tipo de classe a que cada indivíduo pertence.

Alguns costumam qualificar o tipo de classe de acordo não apenas com a renda, mas também os costumes e hábitos de um grupo da sociedade.

Aqui, classe média seriam aqueles que têm um padrão de vida e de consumo razoáveis. 

Em outras palavras, aqueles que têm renda suficiente não apenas para suprir suas necessidades básicas de sobrevivência, mas também consumir formas variadas de lazer e cultura.

Embora o padrão de consumo da classe média seja superior ao das classes baixas, ainda assim não chega próximo  aos padrões considerados exagerados da classe alta. 

A classe média surgiu como uma consequência da consolidação do capitalismo - e não antes dele - devido aos fatores de segmentação social em camadas, resultantes do desenvolvimento econômico.

Ou seja, a classe média é uma classe social que resultou de um fenômeno típico da industrialização

Segundo Homi Kharas, acadêmico da Brookings Institution, a classe média global é definida como aqueles que ganham de US$ 11 a US$ 110 por dia.

Ou ainda, cerca de US$ 4.000 a US$ 40.000 por ano.

Entretanto, estes valores podem variar de país para país, pois devem ser ajustados em relação ao quanto a renda pode comprar em termos de bens e serviços.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Classe média no Brasil

No Brasil, a definição mais simples de classes sociais é a do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Aqui, a definição dos mais ricos aos mais pobres é feita de acordo com a renda mensal de todos que moram na mesma casa.

A questão é que o IBGE classifica as classes sociais em cinco faixas - A, B, C, D e E. 

Vejamos a definição de cada uma, com base na métrica de 2020, quando o salário mínimo era de R$ 1.045,00.

  1. Classe E: pertence à classe E todo mundo cuja soma de todos os rendimentos da família for de até R$ 2.090. 
  2. Classe D: estão as famílias que têm rendimentos entre dois e quatro salários mínimos. Ou seja, entre R$ 2.090,01 e R$ 4.180. 
  3. Classe C: estão as famílias com rendimentos entre quatro e dez salários mínimos. Ou seja, com rendimentos acima de R$ 4.180, mas até R$ 10.450. 
  4. Classe B: As famílias de classe B são as que tem rendimentos entre dez e 20 salários mínimos, que ganham entre R$ 10.450,01 e R$ 20.900. 
  5. Classe A: é aqui que estão os mais ricos do Brasil. A classe A são aqueles que recebem acima de 20 salários mínimos, ou seja, mais de R$ 20.900.

Diante disso, podemos inferir que a classe média são aqueles que têm uma renda compatível com a classe C. 

Enquanto que podemos dizer que a classe média alta seria os que estão presentes na classe B, e os de classe média baixa na classe D.

Já os mais pobres, ou classe baixa, são as famílias com renda total abaixo de dois salários mínimos, ou seja, compreendidos na faixa de renda da classe E.

Por fim, os ricos são aqueles que pertencem à classe A, podendo ser chamada também de classe alta.