O preço do Bitcoin voltou a cair nesta sexta-feira (21), após um apelo intensificado das autoridades chinesas para reprimir a mineração e o comércio da criptomoeda no país.

O vice-premiê chinês Liu He e o Conselho de Estado disseram em um comunicado que uma regulamentação mais rígida é necessária para proteger o sistema financeiro.

O comunicado, divulgado na sexta-feira na China, disse que é necessário "reprimir o comportamento de mineração e comércio de Bitcoins e prevenir resolutamente a transmissão de riscos individuais ao campo social".

Após conseguir recuperar parte das perdas de quarta-feira (19), o bitcoin registrou queda de 12,4% no acumulado de 24 horas, cotado a US$ 35.455, de acordo com o Coindesk.

Semana conturbada para a criptomoeda

A semana foi agitada no mundo das criptomoedas com sua principal moeda digital sofrendo uma sequência de tombos.

Na quarta-feira o bitcoin caiu abaixo de US$ 40 mil pela primeira vez desde fevereiro. A mínima registrada no dia foi abaixo de US$ 33 mil, menor preço desde janeiro.

O bitcoin teve recuperação considerável e retornou ao patamar de US$ 40 mil no final da quinta-feira. Porém, voltou a cair nesta sexta-feira.

As perdas da moeda digital foram influenciadas pelo posicionamento da China reiterando sua posição de que as instituições financeiras e firmas de pagamento estão proibidas de fornecer serviços relacionados à criptografia.

E também pelas declarações de Elon Musk de que a Tesla não irá mais aceitar Bitcoin.

Qual Criptomoeda Comprar Hoje? Baixe Grátis o Relatório da Criptomoeda Promissora para 2022.