O preço do bitcoin (BTC) foi notícia na semana passada e continua movimentando o mercado cripto hoje.

Na manhã de segunda-feira (11), a maior criptomoeda em valor de mercado ultrapassou US$ 57 mil, estendendo sua alta de duas semanas. 

Em outubro, o bitcoin subiu mais de 30%, sendo negociado atualmente em torno de US$ 57.442.

Entre os motivos da recuperação, inclui-se a esperança de que um ETF de futuros de bitcoin seja aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos.

A empolgação depois que o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, esclareceu que não tem intenção de banir o bitcoin nos EUA, também pareceu “encorajar” os investidores.

Outras altcoins também subiram esta semana, incluindo a moeda meme shiba inu (SHIB), que pretende competir com o dogecoin (DOGE). 

Mesmo aumentando quase 400% em uma semana, a Shiba inu ainda tem um longo caminho a percorrer. Atualmente está na 16ª posição, enquanto dogecoin está na 10ª posição.

Fora do movimento dos preços, aqui estão cinco outras coisas importantes noticiadas pela CNBC que aconteceram no mercado cripto na semana passada.

1. Volume de negociação de NFT atingiu US$ 10,7 bilhões no último trimestre

O volume de negociação de NFT (token não-fungíveis) aumentou no terceiro trimestre de 2021 para US$ 10,67 bilhões, de acordo com relatório da plataforma de análise DappRadar

Isso representa um aumento de 704% em relação ao trimestre anterior.

O mês de agosto, em particular, impulsionou esse crescimento. Foi um mês recorde com mais de US$ 5,2 bilhões em volume de negócios. 

Embora as coisas tenham esfriado um pouco em setembro, ele ainda representava mais de US$ 4 bilhões em volume de negócios.

Um uso lucrativo atual para NFTs é em itens de jogos, nos quais os usuários podem comprar coisas como skins ou acessórios para serem usados ​​em videogames baseados em blockchain. 

Somente no terceiro trimestre de 2021, os itens do jogo geraram US$ 2,3 bilhões em volume de negócios, descobriu a DappRadar. Isso representa 22% do volume total de negociação NFT.

2. US Bank lança serviço de custódia de bitcoin

Na terça-feira, o US Bank, o quinto maior banco de varejo dos Estados Unidos, anunciou que seu serviço de custódia de criptomoedas está disponível para gerentes de fundos, informou a CNBC. O subcustodiante NYDIG ajudará no empreendimento.

Este serviço ajudará os gerentes a armazenar chaves privadas para bitcoin (BTC), bitcoin cash (BCH) e litecoin (LTC). As chaves privadas representam uma sequência de letras e números semelhantes a uma senha e são usadas para desbloquear o acesso à criptomoeda de um proprietário.

O suporte para outras criptomoedas como o ether (ETH) é esperado ao longo do tempo.

Banner will be placed here

3. AMC aceita dogecoin como pagamento para cartões-presente

Também na terça-feira, o CEO da AMC Entertainment, Adam Aron, twittou que os cinemas da AMC começarão a aceitar dogecoin como pagamento para cartões-presente.

“Enquanto trabalhamos para aceitar pagamentos criptográficos online, agora você pode comprar cartões-presente digitais @AMCTheatres (até US$ 200 por dia) com dogecoin e outras criptomoedas usando uma carteira BitPay”, escreveu Aron. “Aceito em nosso site, aplicativo móvel e nos cinemas.”

Algumas semanas antes, Aron anunciou que até o final de 2021, a AMC aceitará bitcoin, ether, litecoin e bitcoin cash para pagamentos online.

4. Senadora americana Cynthia Lummis divulga uma compra de bitcoin no valor de até US$ 100.000

A senadora norte-americana, Cynthia Lummis, comprou bitcoin no valor de US$ 50.001 a US$ 100.000 em 16 de agosto, de acordo com um arquivamento na quinta-feira. 

A compra foi divulgada fora do prazo de relatório de 45 dias definido pela Lei Stop Trading on Congressional Knowledge (STOCK).

Um porta-voz do escritório de Lummis disse à CNBC que o atraso na divulgação foi devido a “um erro de arquivamento”.

“Assim que percebemos, trabalhamos com o comitê de ética para consertar”, disse o porta-voz. “Foi um erro honesto e o problema foi resolvido sem penalidade.”

Lummis há muito apóia o bitcoin. Na verdade, a compra de agosto foi feita semanas depois que ela e dois outros senadores tentaram emendar o projeto de infraestrutura do Senado para tratar de sua definição de quem se qualifica como corretor de criptomoedas. 

No entanto, a emenda acabou sendo rejeitada.

5. Administração de Biden pondera a ordem executiva sobre a regulamentação da criptomoeda

O governo Biden está avaliando uma ordem executiva que direcionaria as agências federais a estudar e oferecer recomendações sobre o mercado de criptografia, informou a Bloomberg na sexta-feira.

A ordem esclareceria as responsabilidades de diferentes agências, incluindo o Departamento do Tesouro, o Departamento de Comércio, a Fundação Nacional de Ciência e agências de segurança nacional.

Embora um rascunho da ordem potencial esteja circulando entre autoridades e reguladores, nenhuma decisão foi tomada para avançar, de acordo com a Bloomberg.