O que são Derivativos e como funciona

Derivativos

O que são Derivativos. Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que são Derivativos?

Derivativos são investimentos que derivam de algum ativo. Dentre esses ativos nós temos Commodities e investimentos financeiros.

Exemplos de Commodities: café, ouro, soja, prata entre outros. Financeiros: ações, taxa de juro, câmbio entre outros.

Ao procurar o mercado de Derivativos o investidor tem em mente a proteção do capital ou a especulação em si.

Vale destacar que os Derivativos podem contar com alavancagem em suas operações. Ou seja, ao comprar uma parcela pequena de Derivativos, o investidor pode acabar lucrando muito ou zerando sua posição em pouco tempo.

Banner will be placed here

Derivativos na Prática

Vamos supor que o investidor está pensando em investir em dólar. Para conseguir uma posição em dólares ele pode acessar o mercado futuro.

No mercado futuro o investidor pode comprar posições em dólar alavancadas, isso significa que ao aportar pouco dinheiro, ele tem acesso a uma porcentagem muito maior do valor deixado em garantia.

É como se o investidor estivesse colocando em garantia R$ 1 mil tendo acesso a um investimento de R$ 10 mil.

Desse modo, se o dólar sobe 10%, o rendimento do investidor é de R$ 1 mil. Mas se o dólar cair nos mesmos 10%, o investidor perde todo o valor da garantia.

Além da opção do mercado futuro, ainda existem Derivativos nas opções. Opções são investimentos que derivam de ativos como as ações.

Por exemplo: o investidor deseja comprar a ação XXX lá em julho de 2021. Mas ele quer comprar a ação ao valor de R$ 20,00.

Hoje a ação está valendo R$ 15,00. Isso significa que o investidor pensa que a ação XXX vai se valorizar o suficiente para cobrir a opção de compra por R$ 20,00.

Então ele compra as opções da ação XXX pelo valor de R$ 0,50 cada. Ao comprar um lote de 100 opções ele investe algo como R$ 50,00 em opções para adquirir as ações no futuro.

Chegando a julho, no vencimento das opções, o investidor executa a opção de adquirir as ações pagando os R$ 20,00 cada, uma vez que o valor de mercado das mesmas está em R$ 25,00.

Isso significa que ao comprar e vender em seguida, o investidor vai ter um lucro de R$ 500,00. Sendo que o valor aplicado foi de R$ 50,00.

Benefícios dos Derivativos

Os Derivativos têm seus benefícios com relação aos ganhos. Com pouco dinheiro dá para conseguir rentabilidades muito boas.

Nos dois exemplos citados acima, dá para ver que com investimentos de R$ 50,00 ou de R$ 1 mil, o investidor pode dobrar o valor ou simplesmente multiplicar por 10 seus lucros.

Vale destacar ainda o mercado a termo. No mercado a termo as partes envolvidas negociam a operação de compra e venda em uma determinada data, similar a opção.

Mas nesse caso as partes não podem negociar o contrato. Quando firmado, as partes estão obrigadas a executar o combinado no vencimento.

Recorrer ao mercado a termo é interessante para ambos os lados. Aquele que aposta em uma eventual valorização, pode ganhar dinheiro caso a valorização realmente ocorra.

Já o investidor que negociou a venda do ativo, vai receber o valor acordado de qualquer forma, mesmo que o ativo se desvalorize.

Desvantagens dos Derivativos

Se por um lado os Derivativos são uma boa, do outro, nem tanto. Da mesma forma que os ganhos podem ser elevados, o investimento em Derivativos pode gerar perdas suficientes para zerar a posição ou zerar as garantias.

Outro ponto é a complexidade das operações. Ao vender opções de venda sem ter os ativos “derivados”, você pode acabar arcando com perdas que vão muito além do valor do ativo.

Isso acontece quando o ativo alvo se valoriza muito mais do que o imaginado. Se antes você imaginava perdas equivalentes a R$ 1 mil, por exemplo, elas podem chegar a cifras muito maiores, como R$ 2 mil até o infinito.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE