O que é Come-Cotas?

Come Cotas é o nome dado ao imposto calculado sobre rendimentos, ou seja, o imposto que recai sobre aplicações via fundo de investimento.

Nada mais é que uma antecipação do imposto de renda, em diversos tipos de fundos de investimento, que ocorre semestralmente.

O imposto é recolhido no último dia do mês de maio e no último dia do mês de novembro.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Esse sistema é denominado dessa forma devido à atuação deste imposto, que deduz semestralmente cotas dos fundos, tendo sua alíquota variando de 15% a 20%.

Esses valores equivalem aos mínimos percentuais da alíquota do imposto de renda, sobre o fundo de longo prazo e o fundo de curto prazo.

O come-cotas, portanto, está presente para todos os investidores que aplicam em fundos, sejam de longo ou curto prazo.

Devemos destacar os fundos que estão sujeitos ao come-cotas, são eles: fundos cambiais; fundos DI; fundos de renda fixa; e fundos multimercado.

Existem, também, fundos de investimentos que não possuem come-cotas. Temos como exemplo os fundos de ações e de previdência, tais quais o imposto de renda é cobrado apenas no resgate.

Como Funciona?

O funcionamento do come-cotas é bem simples de entender, e independe da interferência do investidor. Na prática, ele atua com uma cobrança sobre os rendimentos.

Diz respeito a uma cobrança antecipada do imposto devido, que ocorre automaticamente a cada 6 (seis) meses.

A incidência do Imposto de Renda segue uma tabela regressiva para a maioria dos fundos, onde há variação dos valores com relação à aplicação e o tempo, como demonstrado abaixo:

  • Fundo de curto prazo: incidência do imposto varia de 20% a 22,5%;
  • Fundos de longo prazo: incidência do imposto varia de 15% a 22,5%.

Há, portanto, a cada semestre (fim de maio e fim de novembro), uma redução do número de cotas do investidor equivalente ao percentual do IR sobre os rendimentos da aplicação.

É importante que o investidor tenha atenção ao extrato de sua aplicação, pois a cada seis meses ocorre uma redução das cotas, ou seja, é apresentado no extrato um resgate das cotas.

Essa redução do número de cotas ocorre por meio do come-cotas, porém, este incide apenas sobre o rendimento durante o período, e não sobre o montante aplicado.

Vale ressaltar a importância do melhor entendimento sobre o come-cotas, pois irá ajudar nas tomadas de decisões e na aplicação em fundos de investimento.

Fundos sujeitos ao Come-Cotas

Grande parte dos fundos de investimentos que estão disponíveis no mercado brasileiro, tanto de longo prazo quanto de curto prazo, estão sujeitos ao come-cotas. Dentre eles estão:

  • Fundos de renda fixa;
  • Fundos multimercados;
  • Fundos cambiais;
  • Fundos DI.

Desvantagens

Antes de iniciar qualquer investimento é importante levar em conta seus custos (tributos e taxas administrativas), por isso a importância de levar em conta o come-cotas na avaliação do rendimento.

Esse imposto tem por desvantagem a retirada dos rendimentos da valorização do investimento semestralmente.

Portanto, em caso de incidência de imposto de renda apenas no momento do saque, as cotas iriam valorizar por muito tempo até o momento do resgate, o que não acontece com o come-cotas.

Portanto, os come-cotas têm um importante e relevante peso no que tange ao cálculo de lucro líquido dos fundos de investimentos.

Devemos dizer que todo o dinheiro que é retirado de um investimento previamente ao resgate, deixa de somar aos benefícios de juros compostos, ou seja, deixa de render.

Em muitos casos o valor resgatado do investimento pode parecer não fazer muita diferença, contudo, quando calculado seu possível rendimento, principalmente por um longo período, pode-se ter deixado de render um considerável valor.

Mesmo assim, apesar da antecipação do recolhimento, existem fundos interessantes para pequenos e grandes investidores, com rendimentos muito interessantes.