A maior alta de juros do Federal Reserve desde 1994, anunciada esta semana, torna mais provável o risco dos EUA acabarem caindo em uma recessão, de acordo com o estrategista-chefe de ações do Morgan Stanley.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Mike Wilson acredita que o aumento de 75 pontos base nas taxas não proporcionará uma recompensa imediata nos esforços do banco central para domar a inflação, que atingiu uma alta de quatro décadas de 8,6% em maio nos Estados Unidos.

"Isso realmente não muda nossa visão de médio prazo, infelizmente. Não acho que isso vá resolver o problema da inflação da noite para o dia", disse Wilson ao "Closing Bell" da CNBC na quarta-feira.

"Isso também aumenta o risco de uma recessão, porque você está antecipando os aumentos de juros ainda mais rápido. O Fed está caminhando para uma desaceleração, e eles realmente não têm muitas opções."

Uma recessão é normalmente definida como dois trimestres consecutivos de crescimento econômico negativo. 

O aumento das taxas de juros tende a prejudicar tanto as ações quanto o crescimento, porque restringe os gastos do consumidor.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Em Wall Street, Wilson ganhou uma reputação depois de chamar corretamente os três últimos crashes do mercado de ações. 

Ele observou que o mercado subestimou significativamente o quão agressivo o Fed seria.

"A única coisa que erramos este ano é que as taxas subiram ainda mais rápido do que esperávamos", disse ele.

Ele apontou para múltiplos e relações preço/lucro, ambos indicadores do valor de uma ação, como indicações de pressões de crescimento.

"O surpreendente para nós, à medida que as taxas subiram, os múltiplos caíram. Mas o P/L está mais baixo hoje do que no final do ano. O risco de crescimento [é] maior."

Supondo que o Fed consiga um pouso suave, o estrategista do Morgan Stanley disse que o S&P 500 pode cair mais 10% de seu nível atual, para tão baixo quanto 3.400 pontos. 

O índice de referência de ações dos EUA fechou em 3.790 na quarta-feira.

"Somos muito explícitos sobre esse nível de 3.400, talvez 3.500, baseado em nosso trabalho de avaliação, que não pressupõe recessão, mas alguma degradação nos lucros", disse ele à CNBC.

Wilson disse que o mercado de ações Nasdaq 100, pesado em tecnologia, provavelmente deve sofrer uma queda semelhante.

"O Nasdaq caiu mais, porque estava mais estendido na avaliação no início do ano", disse ele. 

"Como temos dito durante todo o ano, o setor de tecnologia têm mais risco de retorno na demanda do que outros setores."

Wilson não é o único estrategista de Wall Street a soar o alarme sobre uma recessão nos EUA após a decisão do Fed sobre a taxa de juros. 

Entre eles, os economistas do Wells Fargo  disseram que esperam que os EUA entrem em recessão até 2023.

Enquanto isso, a Principal Global Investors disse que as previsões econômicas atualizadas do Fed sugerem que uma recessão pode ser a única maneira de controlar a inflação.

"O Fed abandonou seu cenário de 'desinflação imaculada', admitindo que o desemprego provavelmente aumentará se eles tiverem alguma esperança de reduzir a inflação", disse seu estrategista-chefe, Seema Shah, em nota.

“Embora uma recessão não esteja explicitamente em sua previsão, o aumento de 0,5% na taxa de desemprego até o final de 2024 é certamente sugestivo de recessão”.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Fonte: Business Insider