O que é Auditoria Independente

Auditoria Independente é um conjunto de procedimentos executados por profissionais externos à determinada empresa a fim de atestar a adequação e a confiabilidade de um ato ou fato, seja contábil ou financeiro.

Sendo assim, a Auditoria Independente se utiliza de procedimentos técnicos específicos da contabilidade com o intuito de atestar a veracidade de demonstrações contábeis e garantir a confiabilidade de uma empresa.

Consequência direta da evolução do sistema capitalista, a auditoria independente, ou externa, tornou-se condição necessária para o funcionamento de qualquer grande empresa, além de ser obrigatória conforme disposição do CVM.

Abaixo, veremos a origem da auditoria independente, suas principais características e seu funcionamento.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Origem e função da Auditoria Independente

A Auditoria Independente é um desdobramento do desenvolvimento tecnológico, do aprimoramento dos controles e procedimentos internos e do crescimento das empresas.

Antigamente, as empresas pertenciam a grupos familiares, mesmo aquelas de porte razoável. Seu artesão, seu administrador e seu vendedor eram todos oriundos de famílias muito próximas.

Com a evolução do sistema capitalista e de sua economia de mercado, tornou-se necessário ampliar as instalações fabris e administrativas, visando se adequar à concorrência e à competitividade.

Essas operações de expansão, como é de praxe, requerem enormes recursos, o que levou as empresas a captarem recursos com terceiros, seja abrindo seu capital social para acionistas ou solicitando empréstimos. 

Para isso, os bancos e os novos acionistas precisavam conhecer mais profundamente a situação financeira e patrimonial da empresa. Nesse momento, essas informações passaram a ser requisitadas e formalizadas.

Aqui está a principal função da Auditoria Independente: atestar a veracidade dessas informações e emitir um parecer independente dos interesses e das estruturas internas da empresa.

As demonstrações contábeis passaram a ter enorme valor na hora de aplicar os recursos e, como medida de segurança dos acionistas e dos futuros investidores, essas passaram a ser fiscalizadas por um profissional independente.

Como funciona uma Auditoria Independente

O essencial desse trabalho de verificação da situação patrimonial e financeira de uma empresa é ser realizado por um profissional independente, portanto externo à empresa, especializado em contabilidade.

Nesse sentido, a Auditoria Independente requer que o profissional tenha nível superior, com bacharelado em Ciências Contábeis e registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

Além disso, se o auditor for prestar algum serviço para entidades de capital aberto ou que operam no mercado financeiro, é exigido que o profissional esteja registrado e credenciado no órgão regulador, a CVM.

Caso uma empresa requisite esse procedimento, o primeiro passo é permitir o acesso do auditor a todos os documentos e informações necessárias para um exercício adequado e eficiente.

Em seguida, esse profissional irá organizar os documentos e planejar os objetivos da auditoria, selecionando a metodologia mais apropriada para a conclusão da auditoria.

Quando o auditor recolher os documentos e começar a investigá-los é que se inicia verdadeiramente a auditoria. Nesse momento ele irá avaliar profundamente as demonstrações contábeis, comparando-as com as normas técnicas.

Tendo concluído sua análise, o auditor deverá emitir um parecer no qual ele irá identificar as demonstrações contábeis e a extensão do trabalho, bem como expressar sua opinião de forma clara e objetiva.

Tipos de parecer resultantes de uma Auditoria Independente

Um parecer sempre carregará as principais informações a serem notificadas pelo auditor, como nesse exemplo de parecer emitido ao Banco do Brasil. 

Existem quatro diferentes tipos de pareceres. Vejamos brevemente cada um.

Um parecer sem ressalva será emitido em situações nas quais o auditor não identifica nenhuma irregularidade e está convencido sobre os aspectos relevantes da auditoria.

Por outro lado, um parecer com ressalva carregará alguma discordância ou restrição na extensão de um trabalho, ainda que não sejam erros graves.

No entanto, se a empresa receber um parecer adverso, provavelmente suas demonstrações contábeis estão incorretas ou incompletas.

Por fim, o auditor poderá emitir um parecer com abstenção. Nesse caso ele se exime de opinar em razão de alguma limitação na extensão do trabalho.