Jeff Bezos levou a Amazon (AMZO34) ao sucesso gigantesco usando um conjunto particular de princípios quando precisava tomar decisões importantes para a empresa. 

Alguns desses princípios foram discutidos em um novo livro, "Flywheels: How Cities Are Creating Their Own Futures", de Tom Alberg, ainda sem tradução para o português.

Tom Alberg é ex-membro do conselho da Amazon, onde atuou de junho de 1996 a maio de 2019 e atualmente, fundador e diretor administrativo do Madrona Venture Group, uma empresa de capital de risco com sede em Seattle.

Alberg foi um dos primeiros investidores na Amazon. Em entrevista para o Business Insider, em 2019, disse que ninguém queria investir na primeira rodada de financiamento da empresa porque eles esperavam que a então startup de livros online fosse "assassinada" pela Barnes & Noble, a maior livraria varejista dos Estados Unidos.

Porém, Bezos convenceu Alberg a investir porque ele tinha um plano de negócios completo e focado, bem como resultados iniciais sólidos, escreveu Alberg no livro. 

Agora que é uma empresa de um trilhão de dólares, muitas vezes lhe perguntam: "Por que a Amazon é tão bem-sucedida?"

Com base em sua experiência de assistir o magnata da tecnologia tomar decisões, Alberg parece ter a resposta.

Junto com o Business Insider, ele se propôs a explicar os 5 princípios de Jeff Bezos no trabalho. 

1- Obsessão pelo cliente

Para Alberg, o princípio mais importante é a obsessão pelo cliente. De acordo com Bezos, muitas empresas se concentram em seus concorrentes e não em seus clientes.

Como Bezos explicou a um Comitê do Congresso, "os clientes estão sempre lindamente, maravilhosamente insatisfeitos. Um desejo constante de encantar os clientes nos leva a inventar constantemente em seu nome", escreveu Alberg. 

Bezos às vezes toma decisões que podem prejudicar os resultados financeiros da Amazon, mas beneficiar o cliente, acrescentou.

2- Invenção e inovação constantes

De acordo com Alberg, a invenção está intimamente relacionada à satisfação do cliente. "A satisfação do cliente e a inovação são armas poderosas na tomada de decisões", escreveu ele.

Tomar decisões é muito mais fácil quando você pergunta "qual é a melhor decisão para o cliente?" e "existe uma maneira de inventar nosso caminho para uma solução?" Alberg escreveu. 

3- Excelência operacional

O terceiro princípio defendido por Bezos é a excelência operacional, segundo Alberg. 

Alguns exemplos incluem "equipes de duas pizzas", compras com um clique, líderes de thread único e trabalho retroativo. 

A "regra das duas pizzas" é uma das estratégias mais criativas de Bezos, que visa não perder um dia inteiro para reuniões desnecessárias. 

Segundo o fundador da Amazon, quanto mais pessoas você levar para a reunião, menos produtiva ela provavelmente será

A ideia é que a maioria das pessoas acabará concordando umas com as outras em vez de expressar suas próprias opiniões e ideias. 

A solução é nunca ter uma reunião onde duas pizzas não pudessem alimentar todo o grupo.

Banner will be placed here

4- Pensar a longo prazo

Pensar a longo prazo é o quarto princípio do processo de tomada de decisão de Bezos na Amazon, de acordo com Alberg. 

Isso pode variar desde o lançamento de um novo negócio ou o investimento em novas tecnologias. 

Um exemplo que Alberg observa é a adoção precoce de Inteligência Artificial (IA) por Bezos. 

"Quando as empresas estavam apenas começando a reconhecer as possibilidades de aprendizado de máquina e IA , Jeff disse ao conselho que pretendia usar IA em todas as áreas do negócio", escreveu ele.

Bezos então começou a contratar especialistas em IA e treinar seus engenheiros existentes para usá-la. 

A Amazon posteriormente criou e disponibilizou ferramentas de IA para clientes na Amazon Web Services, uma das subsidiárias da empresa, que eles poderiam usar em seus negócios até mesmo para competir com a Amazon, de acordo com Alberg.

5- Otimismo 

O quinto princípio, e talvez o mais importante, é seu "otimismo permanente do futuro e de como estamos apenas no primeiro dia", escreveu Alberg. 

A filosofia do "Dia 1" de Bezos se baseia na ideia mais ampla de que, embora a internet e a Amazon possam parecer maduras e em fases sucessivas para muitos, Bezos acredita que ainda estamos no começo. 

"É sua expressão máxima de otimismo sobre o que o futuro trará", escreveu Alberg. 

Esses princípios "não são segredo", acrescentou Alberg. "Mas você tem que viver de acordo com eles o tempo todo, e a maioria das empresas não quer ou não pode fazer isso."