O que é Warrant?

Warrant é um título que dá ao seu possuidor o direito de exercer a compra ou venda de um determinado ativo.

Esse ativo pode ser uma commodity, uma ação ou índice, um título ou uma taxa de câmbio.

Em inglês, warrant significa “garantia”. Neste caso, é um título que garante ao possuidor o direito de exercer seus termos.

É importante mencionar que o warrant é uma garantia de direito e, portanto, não uma obrigação.

Neste caso, se o possuidor não quiser exercer os termos do contrato ele não será obrigado. 

Por outro lado, caso queira exercer o contrato, a outra parte que emitiu o warrant é obrigada a garantir sua execução.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o Warrant?

O Warrant é muito utilizado no mercado de commodities, sendo emitido por empresas de uma modalidade especial, conhecidas como empresas de armazéns gerais. 

A emissão de dos Warrants pelos armazéns gerais é regulamentada pelo Decreto 1.102/03.

Outra característica de um Warrant é o de ser um Título de crédito transmissível e endossável. Ou seja, pode ser transferido para outras pessoas como uma propriedade.

Em termos gerais, o Warrant serve para representar uma garantia de mercadorias depositadas nos armazéns gerais.

Neste caso, os armazéns gerais emitem os Warrants para garantir ao portador do título que ali há a mercadoria que ele terá direito.

No mercado de ações, os Warrants são semelhantes às opções (derivativos atrelados ao mercado de ações).

Caso queira saber sobre as opções, e como esse tipo de ativo pode ajudar seus investimentos, temos um artigo completo explicando o que você precisa saber sobre esse tipo de derivativo.

Apesar das semelhanças, há algumas diferenças importantes que distinguem estes dois tipos de produtos financeiros. 

Os Warrants são geralmente emitidos pela própria empresa, não por terceiros, como ocorre com as opções.

Neste caso, os investidores não podem emitir Warrants como fazem com opções.

Ao contrário das opções, os Warrants são diluidores. Isso significa que quando um investidor exerce seu bônus de subscrição, ele recebe ações recém-emitidas, em vez de ações já em circulação. 

Outra característica dos Warrants é que eles tendem a ter períodos muito mais longos entre a emissão e a expiração do que as opções.

Enquanto as opções costumam valer por alguns meses, os Warrants têm validade por um ou mais anos. 

O possuidor dos Warrants de ações não recebem dividendos e nem têm direito a voto.

Sendo assim, os investidores são atraídos por warrants apenas como forma de especulação, permitindo alavancar suas posições em um título, fazer hedge ou explorar oportunidades de arbitragem. 

Os Warrants de ações não são muito comuns na maioria dos mercados, como nos EUA. Esse tipo de negociação é mais presente nos mercados de Hong Kong e Alemanha.

Como é a negociação de Warrant?

Negociar e encontrar informações sobre garantias pode ser difícil e demorado, pois a maioria das opções desse produto não estão listadas nas principais bolsas de valores.

Além disso, os dados sobre as emissões de garantias não costumam estar disponíveis gratuitamente. 

Quando um warrant é listado em uma bolsa, seu símbolo de ação geralmente será o símbolo das ações ordinárias da empresa com um W adicionado ao final. 

Por exemplo, as garantias da Abeona Therapeutics Inc (ABEO) foram listadas na Nasdaq sob o símbolo ABEOW. 

Em outros casos, um Z será adicionado, ou uma letra indicando o problema específico (A, B, C, etc).

Os warrants geralmente são negociados com um prêmio, que está sujeito à redução do tempo à medida que a data de vencimento se aproxima, como ocorre com as opções.

Dessa forma, da mesma forma como as opções, os preços dos Warrants podem ser calculados de acordo com o modelo Black Scholes