A Telefônica Brasil S.A. (VIVT4) informou hoje (18), através de fato relevante, que, em Reunião realizada em 17 de julho de 2020, o Conselho de Administração da Companhia, aprovou a apresentação de oferta vinculante para aquisição do negócio móvel do Grupo Oi (OIBR3), em conjunto com a TIM S.A. (TIMP3) e Claro S.A.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

A oferta vinculante foi submetida pelas partes acima indicadas à apreciação do Grupo Oi, após a análise de dados e informações disponibilizadas a respeito do negócio a ser adquirido, destacando que a mesma é sujeita a determinadas condições, especialmente a seleção das ofertantes como ”stalking horse” o que lhes permitirá garantir o direito de cobrir o melhor dentre os demais lances apresentados no processo competitivo de venda do negócio móvel do Grupo Oi.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

No caso de aceitação da proposta apresentada e na hipótese de concretização da operação, cada uma das interessadas receberá uma parcela do referido negócio. Esta proposta conjunta abrange a totalidade dos ativos que constituem a “UPI de Ativos Móveis” descrita em Fato Relevante e Anexos do dia 15 de junho de 2020, pela empresa Oi S.A – Em Recuperação Judicial.

De maneira resumida, os principais ativos são: termos de autorização de uso de radiofrequência; base de clientes do Serviço Móvel Pessoal; direito de uso de espaço em imóveis e torres; elementos de rede móvel de acesso ou de núcleo; e sistemas/plataformas.

A perspectiva da Companhia é que, se concretizada, a transação agregará valor para acionistas e clientes através de maior crescimento, geração de eficiências operacionais e melhorias na qualidade do serviço. Além disso, contribuirá para o desenvolvimento e competitividade do setor de telecomunicações brasileiro.

Outras Operadoras

A Vivo (VIVT4), a TIM (TIMP3) e Claro confirmam o interesse em todos os bens de telefonia móvel ofertados pela Oi.

A nota informa que, caso o Grupo Oi aceite a proposta de compra da Oi Móvel por parte das concorrentes, “cada uma das interessadas receberá uma parcela do referido negócio”.

As operadoras de telefonia não divulgaram, no entanto, como será feita a divisão das participações da operadora e nem qual foi o valor apresentado.

Resultado da Oi no Primeiro Trimestre de 2020

O resultado da Oi (OIBR3) no primeiro trimestre de 2020 (1t20), divulgado no dia 15 de junho, apresentou um prejuízo líquido de R$ 6,2 bilhões, contra um lucro líquido de R$ 678,7 milhões no mesmo período do ano anterior.

O Ebitda da Oi atingiu R$ 1,5 milhão no 1t20, apresentando queda de 5,8% na comparação com o 1t19.

A margem ebitda foi de 40,0%, uma retração de -10,9 p.p. quando comparado ao 1t19.

Já a margem líquida da Oi atingiu 131,7% no 1t20, apresentando retração de -144,9 p.p. na comparação com o 1t19.

As ações da Oi (OIBR3) acumulam alta de 1,68% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 18,24% nos últimos 12 meses.