O que é Viés de Negatividade e como funciona

Viés de Negatividade

O que é Viés de Negatividade. Significado, conceito, para que serve e como funciona.

O que é Viés de Negatividade?

Viés de Negatividade é um viés cognitivo que nos induz a dar maior atenção às experiências ruins do que as boas.

Isso pode afetar a nossa vida das mais variadas formas possíveis.

Desde relacionamentos amorosos até experiências de viagem, consumo, trabalho, e por aí afora.

Por exemplo, podemos ir a um restaurante e dar nota zero para o estabelecimento apenas por causa de uma confusão feita por um único garçom.

Neste caso, uma única experiência ruim pode nos fazer esquecer várias coisas positivas, como a boa qualidade da comida, do ambiente e do tratamento dos outros funcionários.

Banner will be placed here

Como funcionam os vieses cognitivos?

Para entender o viés de negatividade, primeiramente precisamos entender o que é um viés cognitivo.

Viés cognitivo é um conjunto de limitações inconscientes que induzem as pessoas a erros de julgamento.

Esse fenômeno psicológico afeta a racionalidade e a precisão das decisões e julgamentos. 

Os vieses cognitivos podem ser causados ​​por uma série de coisas diferentes, como heurísticas (atalhos mentais), pressões sociais e emoções.

Estes fatores são resultados da nossa limitação cognitiva e da necessidade da mente em fornecer respostas para as diversas situações complexas do dia a dia.

O cérebro humano é um instrumento muito poderoso para avaliar e tomar decisões. Porém ele é sujeito a limitações. 

Os vieses cognitivos geralmente são resultado da tentativa do nosso cérebro de simplificar o processamento de informações. 

Esse fenômeno psicológico nos induzem a preconceitos que funcionam como regras básicas para ajudar a entender o mundo e tomar decisões com relativa rapidez.

Como funciona o Viés de Negatividade?

O viés de negatividade é a nossa tendência não apenas de registrar estímulos negativos mais prontamente, mas também de insistir nesses eventos. 

Esse viés da negatividade significa que sentimos a dor de uma repreensão com mais força do que sentimos a alegria de um elogio.

Esse fenômeno psicológico explica por que as primeiras impressões ruins podem ser tão difíceis de superar e por que traumas do passado podem ter efeitos tão prolongados. 

Em quase todas as interações, é mais provável que percebamos coisas negativas e, mais tarde, nos lembremos delas com mais nitidez.

Como humanos, tendemos a:

  • Lembrar de experiências traumáticas melhores do que positivas;
  • Lembrar de insultos melhor do que elogios;
  • Reagir mais fortemente a estímulos negativos;
  • Pensar em coisas negativas com mais frequência do que em coisas positivas;
  • Responder mais fortemente aos eventos negativos do que aos igualmente positivos.

Por exemplo, você pode estar tendo um ótimo dia de trabalho até que um colega faz um comentário negativo sobre você ou o seu trabalho. 

Neste momento o viés de negatividade entra em ação, te fazendo remoer as palavras deste colega resto do dia.

No fim do dia, quando você chega em casa do trabalho e alguém lhe pergunta como foi seu dia, você responde que foi terrível, que tudo deu errado.

Você diz isso mesmo que as boas experiências tenham sido várias, enquanto que ocorreu apenas um fato negativo (e sem tanta importância, visto que quem te criticou foi um colega e não seu chefe).

Como superar o Viés de Negatividade?

Superar o viés de negatividade é uma missão muito difícil.

Mesmo que saibamos das coisas positivas, nem sempre podemos controlar nossos sentimentos.

Além disso, nem todos os sentimentos têm peso igual. A felicidade de ganhar um carro não apresenta a mesma intensidade da tristeza de perder um ente querido.

Entretanto, há várias situações da nossa vida que podemos tentar suprimir sentimentos negativos.

Para isso, uma alternativa é tentar exercitar constantemente a capacidade de resgatar memórias positivas, principalmente quando se está acometido por sentimentos negativos.

Quando tentamos lembrar as coisas boas, podemos acabar percebendo que as coisas nem sempre são tão ruins assim, e que os momentos tristes são passageiros.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE