O que é Viés da Crença?

Viés da crença é um viés cognitivo que limita as formas com que as pessoas processam informações e tomam decisões.

Este viés é também chamado de viés de confirmação.

O viés da crença se refere à tendência das pessoas de avaliarem informações para reforçarem os seus próprios valores, interesses e crenças.

Isso acontece, na prática, quando um indivíduo julga já saber o resultado de antemão de um fenômeno, de modo que esta crença distorce o processo de raciocínio e avaliação.

Esse tipo de viés induz as pessoas a cometerem erros graves pois apenas selecionará dados e informações que reforçam suas crenças, enquanto que fatores que contradizem suas percepções são negligenciados.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o Viés de Crença? 

Psicólogos comportamentais identificaram três formas com que o viés da crença pode ser invocado na mente das pessoas.

  1. Pesquisa tendenciosa;
  2. Interpretação tendenciosa;
  3. Memória tendenciosa.

Vejamos um pouco sobre cada uma dessas formas com que o viés de conformidade pode aparecer.

Pesquisa tendenciosa

A primeira é na forma de pesquisa tendenciosa.

Experimentos têm revelado repetidamente que as pessoas tendem a testar hipóteses de forma unilateral, pesquisando por evidências que sejam consistentes com sua hipótese atual.

Um exemplo de viés de crença pode ser verificado através da suposição de um caso em que um grupo de pesquisadores estudam os efeitos da oração sobre as doenças. 

Neste caso, podemos supor que o resultado da pesquisa será diferente entre os pesquisadores, dependendo do tipo de crença que cada um tem.

Um pesquisador religioso tenderá a buscar evidências que confirmem a hipótese de que as orações ajudarão na cura das doenças.

Já se o pesquisador for ateu, os dados que confirmam a tese de que os efeitos das orações são nulos (ou até mesmo negativos) para a cura de doenças terão maiores pesos.

Nesta situação, somente um pesquisador isento de seus sentimentos e crenças conseguirá chegar a uma conclusão livre do viés de conformidade.

Interpretação tendenciosa

A segunda forma com que o viés de conformidade aparece é a partir de interpretação tendenciosa.

Neste caso, o viés da crença afeta a forma como indivíduos com valores distintos interpretam dados iguais de forma diferente.

Em um experimento, os participantes ouviram uma história sobre roubo. 

Após serem expostos a declarações que argumentam se um determinado personagem tinha responsabilidade ou não, eles deviam avaliar qual era a importância de cada declaração enquanto evidência. 

Quando eles consideravam a culpa desse personagem, eles avaliavam as declarações que sustentavam essa hipótese como mais importantes que as declarações conflitantes com ela.

Memória tendenciosa

Esse efeito também é chamado de “lembrança seletiva”, “memória confirmatória” ou “memória de acesso enviesado”.

Neste efeito, o viés da crença aparece a partir da recordação, de forma seletiva, de informações passadas que podem ser usadas para reforçar suas expectativas.

Em um experimento, viúvas e viúvos avaliaram a intensidade da tristeza experienciada seis meses e cinco anos após a morte de seus cônjuges. 

Naturalmente, os participantes apontaram uma experiência de tristeza maior após seis meses que após cinco anos. 

Ainda assim, quando foi perguntado aos participantes cinco anos após a morte como eles tinham se sentido seis meses após a morte, a intensidade da tristeza que se lembravam estava altamente correlacionada à atual intensidade.

Indivíduos parecem utilizar seus estados emocionais atuais para analisar como eles devem ter se sentido em experiências passadas.

Efeitos do Viés da Crença nos investimentos

Como visto, são vários os casos que podemos utilizar para ilustrar os efeitos do viés da crença na nossa vida.

Vale a pena mencionar que este tipo de viés cognitivo também impacta significativamente nos nossos investimentos.

Aqui há várias formas de visualizar esse viés.

Primeiramente, temos que o otimismo dos investidores iniciantes tende a induzir avaliações enviesadas sobre a situação dos mercados.

Na expectativa de ganhar muito dinheiro, é comum ver investidores novatos negligenciando os riscos de investir na bolsa de valores, como também subestimar o impacto das crises econômicas.

É comum ver investidores dizerem que as crises sempre são superadas, e que, portanto, é seguro investir na bolsa, mesmo no longo prazo.

Entretanto, essas pessoas negligenciam os efeitos perversos das recessões, quando ocorre de grande número de empresas irem à falência, ou nunca voltarem a ter a mesma performance de antes.

Outra forma com que o viés da crença pode afetar as nossas avaliações é quando estamos muito otimistas com um determinado ativo.

Neste caso, é normal desconsiderar informações negativas e os riscos atrelados ao negócio em questão.

Por isso, é sempre bom estudar bastante os vieses cognitivos que afetam a nossa mente, e saber quando eles podem estar nos induzindo a equívocos.

Caso queira saber mais sobre este tema, saiba que temos um artigo completo sobre vieses cognitivos e seus impactos nos investimentos.